pixadores2

Asos e Puma lançam coleção de outono com polêmico vídeo sobre pixação em SP

1.out.2012

Asos é uma loja online varejista que vende roupas multimarcas e também de marca própria em alguns países da Europa, nos Estados Unidos e na Austrália. Neste outono (do hemisfério norte) eles estão lançando a coleção ASOS Black X Puma (em parceria com a Puma) e um curta-metragem chamado “Os Pixadores”, que retrata as aventuras de um grupo de pixadores em São Paulo.

Desde o final de agosto, eles lançaram uma série de 5 trailers de 30 segundos anunciando o filme completo, que tem direção do inglês Ben Newman. Confesso que esperava um filme mais abrangente, uma espécie de documentário, mas no final é apenas um vídeo de 5 minutos (assista abaixo) sem muito mais conteúdo do que eu já tinha visto nos trailers.

O que me chamou bastante a atenção é ver duas marcas grandes tocando em um terreno bastante polêmico que é a pixação. Além de polêmico, é criminoso. Apesar da aparente boa repercussão no Youtube, o vídeo gerou bastante polêmica entre as pessoas que defendem que pixação não é arte. Não sei se o vídeo chega a ser um tiro no pé das marcas, mas acho que é um assunto bem difícil de mostrar. Até por isso fiquei decepcionado com a simplicidade do vídeo. Esperava ver argumentos, alguma história, enfim, um posicionamento mais definido sobre o tema.

Particularmente eu não gostei do filme. É um vídeo bem feito, com boas imagens, mas o tema não me agrada e achei a abordagem bem razoável.

Gostaria de ver a opinião dos leitores do B9 sobre o curta-metragem e o posicionamento da Asos e da Puma.

Comente

  • Marcos

    Que legal, um belo incentivo a esse bando de delinquente que polui o visual da cidade.
    Pode ser que depois desse comercial, aumente ainda mais esse bando de desocupado, todos uniformizados com as roupas da asos e puma.
    Decepcionante!

    • Jason

      Não é o monte de concreto empilhado que polui o visual da cidade, mas sim o que tá escrito ali. Sei..

      • Paulo

        Falou o pichador.

      • Daniel

        Olha, diria que Londres, de onde vem o diretor do filme, tem o mesmo concreto e é uma cidade um pouquinho menos nojenta de pixação que São Paulo.. As vezes você da um rolê na Lapa por exemplo, e fica pode ficar meia hora sem ver um muro em branco… se voltasse pra casa depois de ver um monte de street art de prima, seria um sujeito bem mais feliz…
        Sujeira na cidade dos outros é sempre refresco!
        Fico com o post da Thays logo abaixo.. No message no art feras! E pra quem não conhece o Banksy é bom se informar um pouco que a parada é meio diferente…

        • Não compare Londres com São Paulo em aspectos visuais. São cidades completamente diferentes.

    • Decepcionante é ver uma pessoa com a mente tão fechada quanto a sua comentando nesse blog.

    • Felipe Guatiello

      A questão não deve ser meramente de poluição visual. O que integra ou desintegra uma paisagem é relativo. Nova Iorque tem prédios lotados de propagandas e nem por causa disso é feio.
      A questão que deve ser discutida agora é a criminalidade. Vandalismo. Como dizer que destruir o patrimonio alheio, seja publico ou particular, é algo plausível de algum valor?!

  • Vinicius

    senti vergonha alheia. mas concordo com o Marcos aqui em cima. Se fosse um documentário sobre graffiti até acharia válido, porque graffiti é arte. pixação é vagabundagem.

    • defina arte meu caro…

    • TEOR – SP

      Só mais um manipulado pela mídia….kkkkkk
      Vergonha eu tenho de você, que se deixa levar pela opinião imposta…
      ACORDA RAPAZ!!!
      Graffiti tbm é feito sem autorização!!!
      A única diferença é que ele é colorido, então serve para a publicidade, pois chama a atenção de uma maneira "mais agradável"!!!

  • Emerson

    Grafite sim É ARTE! PIXAÇÃO É LIXO!

    Sem mais.

  • Willian

    Bando de cretino sem o que fazer… ferrando com a cidade toda, BH é um lixo por causa desses tipinhos ai.

  • Willian

    Da pra ver a cara deles, só falta prender agora.

  • Nada ver, esse vídeo. As marcas acabam compactuando com a pixação, qué é crime. Realmente não entendi o que as marcas queriam passar com esse vídeo.

  • jhonny spike

    Grafitti é arte. Pichação é vandalismo. Sabem qual é a diferença essencial entre uma coisa e outra? Autorização.

    Se você bate na porta da minha casa e pede "ei, podemos escrever umas frases legais na sua parede?", e eu digo "sim", então tudo certo. Mas se você vem na minha casa enquanto eu durmo para escrever as mesmas frases, então você é um criminoso, pois está interferindo no direito de propriedade alheio. Eu, como dono da minha casa, tenho o direito a escolher.

    Fazer esse tipo de coisa sem autorização é crime, sim. Não se trata de ser "bonito" ou não. Se trata de violação do direito de propriedade.

  • Acho super bacana mostrar a realidade dos pixadores, o porque fazem, a forma etc, porém sem incentivar isso como arte. Não gostei dessa parte.

  • Para quem luta contra a agressão visual e pela integração do Grafite nos grandes centros, isso realmente é um tiro no pé. Pixação é crime constituído como degração de patrimônio passível de retenção quando flagrante. Nínguém gosta de ver o muro do seu prédio ou o monumento da praça pixado. Acho que faltou um pouco de conhecimento cultural para quem dirigiu o filme. Pixação é ato de protesto, se essa fosse a vertente do filme – uma reinvidicação – talvez tivesse sido acertiva. Mas querer passar a imagem de arte é complicado.

  • SilencioMoraes

    Realmente, o vídeo foi muito bem produzido, porém bem raso quanto ao nível de informação, eu por ser apaixonado e estudioso de arte de rua realmente fiquei até o ultimo segundo do filme na ânsia de uma argumentação que contrapusesse a predisposição das pessoas ao que elas realmente não conhecem.
    A pixação vem de uma esfera social onde as pessoas buscam por visibilidade, é um "grito do morro contra o asfalto", mas grandes pintores que atualmente expõem seus trabalho de "graffiti" em grandes galerias começaram exatamente na contravenção do sistema, foi através do "grito" que atingiram e hoje vislumbram um crescimento pessoal e profissional.

    Arriscado para 2 grandes marcas colocarem no ar apenas o que é criticado, tornar "cool" o "politicamente incorreto" da arte de rua… faltou estudo!

  • As imagens são boas, mas a abordagem é superficial. Pixação é crime, tanto grafiteiro bom pra mostrar. Vai tratar de um tema como pixadores e de uma forma tão superficial era melhor não ter mostrado.

    • magalhaes82

      Os "grafiteiros" já estão nas galerias, é uma arte que não agride a sociedade coxinha que os calou com status de arte.

  • É perigoso emitir opinião de coisas que a gente só vê de fora. Não que eu apóie qualquer intervenção onde as pessoas agem as escondidas, se encapuzam como criminosos e fogem correndo antes mesmo da tinta secar. Por outro lado o grafitti – que provavelmente nasceu de grupos assim mas que queriam algo mais sofisticado – só conseguiu seu espaço por ultrapassar essa barreira de intervenção imputando conteúdo, técnica, desenvolvendo uma linguagem que expressasse sem agredir visualmente.
    Quando qualquer arte passa a causar reflexão pela sua aceitação, é completamente válido, seja lá qual for a linguagem e a estética, mas quando se torna guerrilha, quando é vazia de significado dentro do contexto urbano, ao contrário do grafitti que se torna intervenção, a pixação se torna intromissão.

    Não julgo, até porque desconheço os motivos e o conteúdo – incompreensíveis aos meus olhos. Mas realmente, duas marcas de peso se expondo num documentário vazio só reforça – em termos de mídia e exposição – a falta de significado social da pixação.

  • Leco

    Achei fraco. Sem conceito querendo tornar legal uma prática idiota. (já pichei quando moleque e hoje sei a idiotice que é isso). Um monte de frase de efeito, que pra mim nunca sairiam sozinhas da boca dos tais pixadores. E tacar fogo pelo jet foi um pouco demais, né. hahaha Fotografia tá ótima e só.

  • Walter Tot

    Um bonito video que trata com carinho un nicho de mercado que existe e é real, fala o que essa galera sabe, trata do que essas pessoas entendem e vivem. Os que não entendem não tem que se preocupar, esse video não foi feito pra vocês. Graffiti ou pixação, música ou gramática tem tudo a mesma finalidade, comunicação. Não acho justo falar mal dessa classe de pessoa que muitas vezes não tem um horizonte mais adiante que alguns passos à frente. Cada louco com sua loucura, cada um com a sua verdade. Gostei do vídeo e não acho que tenha que ter qualquer argumentação ou explicação, pra mim está explícito.

    • Rodrigo Thome

      Pixação é depredação do patrimônio público. Artista grafita. Pixação é coisa de vândalo vida loka… e pior, sem talento.

  • Giovanni Rati !

    Pichação causa reação não passa despercebida ou você gosta ou não, existe um contexto uma força motivacional pra quem se aprofunda no assunto muito maior do que críticas desinformadas que apenas veem riscos de tinta !

  • Liberdade de expressão não é isso =/

  • Thiago

    No próprio YouTube tem outros vídeos que tratam o tema de maneira mais abrangente e até esclarecedora.
    Agora, arte, eu não acho que seja. Bandos de delinquentes guerreando para deixar a sua 'marca', umas sobre as outras. Deixando uma vastidão de concreto feio ainda mais feio. E não estou me referindo somente a São Paulo, e sim a todos os centros abandonados e esquecidos das cidades do país.
    Tem maneiras melhores de trabalhar o mesmo conceito.

    • magalhaes82

      É, realmente guerrear por empregos é mais justo…

      • Thiago

        Não acho que a questão seja a justiça, até porque justiça nunca foi o nosso forte. Mas uma coisa é fato, a pixação está aí denunciando um monte de descaso com os espaços e com as pessoas.

  • Andreas

    Eu acredito que deixa de ser arte quando se torna destruição do patrimônio alheio. Gosto desse tipo de intervenção urbana, do que te faz questionar, te tira da sua zona de conforto, mas tem um jeito melhor de se fazer isso.

  • Achei bom. É legal ver uma marca dar voz ao povo da periferia. Eu odeio pixações, elas só ajudam a deixar a cidade (no caso SP) mais feia do que ela já é. Mas uma vez ouvi uma ótima explicação para isso: Voce que mora nas regiões ricas da cidade adora se exibir e ostentar, logo, vc se "expressa" para seus amigos mostrando seu novo carro importado ou a sua SUV, seu novo iPhone, seu tenis de R$600,00, e etc… as pessoas que não tem acesso a nada disso e olham tudo por cima do muro tb precisam fazer parte de algum "grupinho" e mostrar que estão alí, por isso pixam/degradam a cidade na tentativa de se expressar culturalmente.

  • Puma se identificando com lixo… Onde que isso vai ser bom pra eles?

  • Lucas Mattos

    Concordo com nossos amigos…esperava algo mais, talvez um pouco mais de arte e menos rebeldia…algo mais BANKSY http://www.banksyfilm.com/…hehe

    • TEOR – SP

      Banksy é tão artista que ninguem nunca o viu, nem sabe quem é, pq se souberem vão mandá-lo pra cadeia, pois sua "arte" sempre foi feita sem autorização, igualzinho aos REBELDES da pixação!!!! kkkkkk

    • magalhaes82

      Então, procuro saber mais sobre Banksy. Sua comparação entre arte e rebeldia não fez sentido algum.

  • Ana

    Podiam ter abordado melhor o tema, mostraram uma parte muito pequena da arte de rua. As marcas deveriam ter entendido mais o tema na nossa sociedade. Bom filme, legal a coragem de tocarem num tema tão polêmico, mas acho que foram infelizes na maneira como abordaram.

  • Marcos Leonel

    Falando como profissional de comunicação, também acho um tema bem complicado. De um lado, as pessoas podem pensar que é um incentivo ao crime e todo argumento moralista que a gente já sabe e escuta desde de criança. Por outro lado, está um olhar holístico e político-social sobre o assunto, entender o que isso significa, o que representa para cada pessoa. Não que eu pense ou que o video mostra a pixação como algum "bom" e que não deva ser punido, mas é uma expressão legítima de quem assume os riscos de vida e as consequencias legais ao escolher expressar-se desta maneira. Acho que a marca tenta um equilíbrio entre a visão anarquista e visão inquisidora.

    Resumindo, é uma abordagem polêmica e chocante para dizer que cada um segue um ideal e que você não precisa buscar aceitação por isso ou seguir os ideais que a sociedade impõe. Só acho poderia ficar claro que isso tem consequencias, pq a individualidade de cada um está "limitada" dentro de algo maior que é a sociedade. Mas eu achei válido para questionar essa "arte". Como dizem, a arte deve confortar os perturbados e perturbar os confortados.

  • Bom, acredito que no final do vídeo já tem a resposta que todos procurávamos. Assim como os pixadores não buscam aceitação, apenas expressão, talvez a marca decidiu abandonar o comum de agradar aos seus clientes e segui o que realmente é o pure feeling da marca. Arriscado sim, uma cultura que agrada a poucos, nem mesmo a mim, não há beleza, são má vistas pela sociedade. Mas suas vidas talvez estejam traduzidas ali, uma vida sem glamour, sem coisas belas para a sociedade que se envergonha dela. Acho que é preciso pensar um pouco mais sobre esse vídeo, pois uma marca grande que apoia uma cultura contrária à sociedade, ou está dando a cara à tapa, ou não sabe mais como chamar a atenção. O que vocês acham, mostrei meu ponto?

  • Alan

    Acho que exatamente a falta de argumentação e posicionamento foi o que deixou o video legal, reflexivo e enigmático. Como no momento em que se fala que na pixação pode ter o significado de quem fez ou de quem está apenas observando.
    Não concordo com a prática, mas com a liberdade de expressão, e talvez o vídeo tenha de ser visto da mesma forma. Não precisa de argumentação, cada um tira as próprias conclusões, o risco fica para as marcas que, no meu ponto de vista, estão apenas mostrar que vale a pena correr riscos por seus ideais.

  • Carol Andrade

    Desde quando pixação é arte? São um monte de símbolos que só eles entendem e que não significam nada. Esses caras confudem libertade, achando que podem cometer crimes.
    Sinceramente, não entendi pq a ASOS, marca que consumo sempre, fez um vídeo tão fútil e inútil.
    Arte de rua é o que vejo nas criações do Gêmeos e outros ótimos artistas paulistanos, trazendo cor para a cidade. Eles sim merecem a nossa atenção.

    • chamusca

      "consumo sempre…"

  • Henrique

    Isso não tem nada de arte.
    É vandalismo disfarçado de fashionismo. É publicidade, na sua pior forma.

  • DigaNãoAoVandalismo

    Só digo isso, pixador é vândalo!

    • TEOR – SP

      Graffiteiro também é!!!
      Porque ninguem fala isso???

      • magalhaes82

        O Graffiti no Brasil é usado como um produto anti-pixação, diferentemente de muitos lugares no mundo. Aqui "grafiteiro" é artista, foi domesticado assim como vários elementos da cultura de rua.

  • Rogerio Moreira

    Poderiam fazer um vídeo sobre grafite e não pixação, só no Brasil para fazer esse tipo de coisa!
    Lamentável!!

    • magalhaes82

      Graffiti já está calado pela sociedade coxinha, não teria significado algum.

  • Amanda

    Sou historiadora e especialista em fitografia e imagem, ultimamente tenho pesquisado um tanto sobre antropologia visual.
    Houve um despreparo muito grande em abordar o assunto
    Logo de cara o autor do vídeo atribui juízo de valor ao movimento dos pixadores, nitidamente propõe um caráter totalmente marginal e segrega este movimento apenas a parcela da sociedade que vive nas comunidades empobrecidas, de um lugar específico, de um país específico.
    É preciso entender que o movimento primeiramente não está ligado apenas a se arriscar, antes de tudo está ligado a contra-cultura bem mais ramificado e complexo que um simples vídeo de pouco pais de 4 minutos.
    É preciso responsabilidade em nossas campanhas publicitárias, para não atribuir um valor ao movimento que ele não possui, para não marginalizar o movimento do graffiti que hoje em dia tem seu lugar no estudo antropológico e iconográfico, ou seja, é preciso uma maior responsabilidade sócio-cultural no que diz respeito a veiculação de informações incompletas e soltas que não informam e incentivam a banalização da vida (vide homem do lado de fora do metrô), banalização dos movimentos (o porque da fala deles e o que eles querem dizer pouco importou) entre outras tantas coisas.
    Achei irresponsável, marginalizador, preconceituoso.

  • eepanto

    Excelente vídeo, excelente mensagem, mas é desolador ver o poder que o capitalismo tem de transformar todas as linguagens em produtos ._ .

    Continuo achando a street art um dos movimentos de contracultura contemporâneos mais verossímeis, mas chega a ser paradoxal que agora ele esteja virando invólucro de incentivo ao consumo e consequentemente, de manutenção das estruturas…

  • Helbert William

    ridículo, sem um pingo de estudo de mercado, sem noção de alcance e penetração, dinheiro jogado no lixo.

  • D.

    Até eu que sou um ex-pichador achei besta. E sim, eu era um adolescente idiota!

  • Ricardo Lopes

    Achei o video chato demais, não mostra nenhuma essência, não tem emoção, não propõe nada. No final dele, eu já não lembrava mais o motivo de estar assistindo. Se as marcas queriam defender a arte urbana ou mesmo a liberdade urbana, elas não conseguiram

  • Renato Prospero

    Eu não acho que a Puma deu tiro no pé, veja a riqueza do conceito de indviduo urbano, que vive nos conflitos dentro da selva de pedra que mesmo sem chance, encontra espaço para ter voz e se expressar, mesmo arriscando a vida para isso e sendo marginal (marginal no sentido de indviduo à margem da sociedade).

    Além disso a Puma foi esperta e percebeu que a pixação é a nova grande experessão artistica que vem ganhando espaço nas bienais de arte mundo a fora, o mercado de arte em si está de olho nessa linguagem, quando que um pixador foi valorizado a ponto de ser levado para bienal de Berlin, foi a toa que Cripta Djan foi pra la?

    Outra coisa bacana é que se voce for falar de pixação, você logo está falando de SP, a cidade aonde a pixação é parte de tudo.

  • DougBC

    Rasa foi essa crítica, e alguns comentários.
    Avaliar de uma maneira reacionária tipicamente paulistana (minha terra) é ser pequeno e excluir muitas obras da Arte Contemporânea (apresentadas em galerias e reconhecidas por peritos acadêmicos) da "classificação" artística.
    Pra ser arte, basta ter um público que reconheça a manifestação como tal. E o pixo paulista é uma grande manifestação, inclusive vista por muita gente de fora, e a própria galera responsa do Grafitti diz que não há diferença entreentre os dois.
    Ou seja: para as 2 marcas com forte personalidade contemporânea, a proposta foi ousada e causou um choque pertinente aos seus posicionamentos fora da média. Que bom que não foi um publicitariozinho que "quis dar uma cara jovem e moderna colocando uma galerinha do grafite", ficando com cara de abertura da Malhação.

    • lucas

      Me perdoe, amigo. Mas escrever com tinta preta o seu nome com letra de 'mano', ainda mais coisas que ninguém entende, é muito mais uma reação da sociedade e dos componentes que fazem parte dessa classe mais baixa como forma de agressão ao patrimônio do que propriamente uma arte.
      Fazem isso porque querem 'gritar', querem mostrar ao mundo que não são excluídos, que eles existem, mas isso não significa que alguma pessoa ali tenha talento. Até um bebê de 5 meses desenha melhor do que isso. A liberdade é para todos, e infelizmente a imbecilidade também, embora não seja optativa em grande parte dos casos, como esse.

    • Eu não fiz nenhuma crítica à pixação, Doug. Talvez por isso vc tenha achado ela "rasa". Eu apresentei o vídeo e pedi a opinião dos leitores. Apenas critiquei a maneira simplista que abordaram o tema no vídeo. Se pixação é ou não é arte, não cabe a mim decidir isso.

    • Rodrigo Thome

      Qualquer publicitáriozinho sabe a diferença entre vandalismo e arte. Pixação é vandalismo barato. Grafiti é arte. Sabichão.

  • Letícia

    Parece uma tentativa frustrada de descriminalizar uma prática ilegal. Vejo apenas jovens, perdidos, com um potencial incrível, mas sem nenhum apoio, tornando-os ervas daninhas da sociedade.
    Sim, as imagens podem ser boas. Mas não podem ser suficientes para mascarar um crime como esse.
    Talvez tenha sido um erro de foco. Como eu disse. Vejo potencial, mal aproveitado, nesses garotos.

  • Bruno Freitas

    A gente não ta procurando a aceitação das pessoas diz tudo pra mim.
    E pessoas que arriscam a vida tentando passar alguma mensagem para outras pessoas são artistas sim a sociedade julga com seus velhos pensamentos e nao sabe que a evolução da arte veio da estranheza das pessoas.

  • Wagner Costa

    Nunca considerei pixação arte, mas sim uma forma de protestar e de dizer o que se pensa, acho que outras pessoas pensam assim também, até por isso chamam de "arte marginal", não apoio pixação e considero hoje um ato de vandalismo, mas já fui pixador quando adolescente. Concordo quando no depoimento um rapaz diz que eles são produtos daquele ambiente, que por minha esperiência sei que não é social financeiro, mas comportamental. Adolecente entediado ou revoltado parte para diversos caminhos.
    Concordo com Cleber Zerrenner, quando diz que tem muito mais assunto para se mostrar.

  • juliocesarprava

    Pixação é arte pra quem não sabe o que é arte.

    • e o que é arte? defina….

    • Duda

      Que resposta mais infeliz…
      Da Vinci e Michelangelo já morreram, portanto acabou a arte, certo?

    • Quero ver alguém definir arte… teimam com essa onda de fulano era pixador agora é um famoso grafiteiro… Existe uma galera que era grafiteira e se tornou ou ainda é pixadora

  • Pareceu mais um "grito de desespero" da puma do que uma ação pensada!
    Sendo a intenção de gerar polemica ou construir uma imagem de revolucionária, faltou colocar para o espectador a intenção do video, no final fiquei com aquela sensação de que faltou algo.

    Sem posicionamento, nem motivos claros que apoiem esse tipo de iniciativa sendo legal ou não é apenas um tiro no escuro.

  • Gabriel

    Ninguem gosta de pixador mas paga pau pro Kidult e pro Neck Face, certeza.

  • pedro

    não entendo a necessidade de conter uma moral ou um desfecho triunfal para a peça, ilustra apenas um ponto de vista, e se tratando de grandes empresas até surpreende, afinal o tema pichação sempre é tido como marginal [vide a maioria dos comentários 'não é arte' e blabla]… bacana.

  • Mais do que arte, a pichação é tipografia de alto nível que muito diretorzinho de arte daqui não tem capacidade de fazer.

    Pichação é arte, goste você ou não. Ela já esteve presente em diversas galerias do mundo. O fato de ser crime não tira sua legitimidade como arte e o fato de ser arte, não faz com que ela deixe de ser crime.

    Sei que parece um paradoxo complexo demais para seres superficiais de pensamento binário, que só enxergam o preto no branco. Mas é uma realidade. A pichação é arte, se não gosta disso, é você que tem que trabalhar isso dentro de você. Evolua.

    • magalhaes82

      Concordo quase 100%. Só não dá pra justificar o fato de ser arte por "Ela já esteve presente em diversas galerias do mundo". Estar dentro de uma galeria é o que faz ela perder seu total valor, assim como o graffiti perdeu.

  • Marginais que depredam o patrimônio público e privado. Jovens que usam a bandeira do gueto para disputas entre gangues.

    Incentivo ridículo.

  • Gazo

    Pixação só é arte no muro da casa do caraleo!

  • alexandre

    Na hora de usar as "fontes" dos pixadores em peças publicitárias, naum vejo toda essa indignação…

    • magalhaes82

      O loco… calma, assim você quebra os coxinhas! kkkkkk
      Depois dessa parei.

  • wporfirio

    Pode ser uma arte marginal (no sentido de estar a margem da sociedade), mas é crime: Lei 9.605/98. Basta o MP fica sabendo e denunciar a Puma por incitação pública de crime: apologia ao crime CP Art. 286. Por outro a marca buscou uma "referência radical com a contravenção" para atrair jovens da nova classe C e D no Brasil, que devem ter sido pesquisados como público consumidor da marca. Se for este o objetivo, certamente ela conseguiu. Benetton já fez isso e se deu bem. Tudo é business, sem nenhum compromisso com as conseqüências. Mas também, não sejamos moralistas ao ponto de transformarmos a temática num tabu.

    • DougBC

      " para atrair jovens da nova classe C e D no Brasil"… em que bolha reacionária vc vive, colega?

  • Allan

    Idiota é quem acha que sabe definir o que é arte.

    • magalhaes82

      Finalmente li algo de bom! Concordo plenamente.

  • Bruno

    Ridículo!
    Já não bastassem os políticos que não fazem nada pela limpeza da cidade nós temos que aguentar esse bando de delinquentes que acham que essa m%$# é arte! E agora patrocinado por duas marcas que vou ter vergonha de consumir.

  • Mário

    Arriscado, de fato. Porém a um tempo atrás eu conversei com alguns amigos meus franceses, e eles comentaram que a pixação no Brasil é conhecida mundialmente, pelo risco e pela quantidade gigante de "artistas". Então nós somos expoentes nessa "arte" da pixação, isso é inegavel.

    Muitos artistas como Os Gêmeos, Nunca, Titi Freak e outros, começaram no pixe, e então se desenvolveram para o grafitti. Pixação é uma coisa intrinseca a cidade, não existe cidade no mundo sem pixação.

    A ASOS simplesmente pegou um elemento do urbano e transformou isso no mote da sua campanha. É polemico, e pode ser considerado errado por muitos, mas é um elemento que no hip hop e streetwear sempre vai estar presente.

  • É perigoso emitir opinião de coisas que a gente só vê de fora. Não que eu apóie qualquer intervenção onde as pessoas agem as escondidas, se encapuzam como criminosos e fogem correndo antes mesmo da tinta secar, e ao final disso não agregam em nada o cenário urbano de modo positivo. Por outro lado o grafitti – que provavelmente nasceu de grupos assim mas que queriam algo mais sofisticado – só conseguiu seu espaço por ultrapassar essa barreira de intervenção imputando conteúdo, técnica, desenvolvendo uma linguagem que expressasse sem agredir visualmente.

    Até entendo a intenção das marcas de querer se relacionar a um mundo mais underground, mas criar expectativa com teasers e não apresentar qualquer conteúdo é só reafirmar a impressão que eu tenho sobre pixação: é pelo risco de se expor sem qualquer conteúdo aparente. #Fail total. Esperava, no mínimo, uma defesa contundente, proporcional ao risco.

  • andreculino

    Numa boa, HORRÍVEL. Um festival de bizarrices.

  • Cleiton C. Ferreira

    Me desculpe as palavras, mas que merda é esta?
    "We are Pixadores" ?
    As marcas estão de brincadeira, indiferentemente da abordagem.
    Z E R O

  • Mateus Dias

    Imagens boas. É só isso. Não tem história nem profundidade alguma. O texto é ruim e mal interpretado.

  • alexandre

    Cade meu comentário?

  • É apenas um filme que mostra o lado dos pichadores, um dia na vida deles. Um tipo de visão. É proibido fazer filmes sobre temas diversos ou polêmicos? De hoje para frente só pode ganhar as telas e as páginas o que é corretinho e bonitinho? Se sim, o mundo está absurdamente chato e moralista.

  • jullianaveloso

    Finalização excelente para um conteúdo pífio e sem razão. Alow marcas: bom senso ainda é uma das coisas coisa mais fundamentais dos últimos tempos.

  • Descrever essa proposta em uma unica palavra: Ousadia.

    Não acho que foi um tiro nos pés, a pixação é um estilo de vida marginal, uma contra-arte, se é que existe esse termo, porque é uma manifestação artistica repudiada pelos proprios pixadores e pelo público que não é do meio.

    Quanto as argumentações, claro que se houvesse algumas palavras defendendo a pixação, a aceitação seria maior, mas estamos falando de um vídeo para uma marca, não um documentário, eu considero essa ausência de argumentos como uma liberdade artistica, é a visão do pixador que foi retratada. Quem realmente se interessa pela pixação pode encontrar muito conteúdo na internet.

    Mais uma vez, é um vídeo ousado, e acho que o mercado precisa de mais coisas assim.
    É fácil falar para sair da caixa, o difícil é conversar com um público que está no conforto da caixinha.

  • "A Pixação provem da categoria do território. Eles territorialização o espeço urbano decodificado – esta rua, aquele muro, tal quarteirão, assume vida através deles, tornando-se território coletivo. E eles não se circunscrevem ao gueto, eles exportam o gueto para todas as artérias da cidade, eles invadem a cidade branca e revelam que ela é o verdadeiro gueto do mundo ocidental (…) Somente eles são selvagens, na medida em que sua mensagem é nula"

    Trata-se de um ensaio do livro "L'échange symbolique et la mort" de Jean Baudrillard, 1976

    Acho que não preciso falar mais nada.

    • Mt bom Thays ;)

    • magalhaes82

      "Pode ser o nosso significado ou o seu"

    • Renato

      A pixação é uma expressão particular e impositiva em um espaço que deveria ser público. É um tipo de apropriação indevida da coisa pública, sendo tão hedionda quanto fechar uma rua tornando-a privativa ou invadir uma área de manancial. O que é de todos deve permanecer de todos, voltado ao uso comum cujas regras, em nosso caso, foram democraticamente construídas por nossos representantes. Pouco importa se há ou não mensagem na pixação – ela é um ataque do interesse privado sobre o interesse público – como também o são os milionários que invadem represas com suas mansões ou os mensaleiros que saqueiam o herário público.

  • Flavio

    Bola fora!
    Na minha opinião nenhuma marca tem que vincular sua imagem com algo desse tipo, pixação é vandalismo, graffiti é arte…..esse vídeo insentiva essa ação…mal, muito mal.
    Acho que existem muitas outras formar de vc lincar a sua marca a algo "fora da lei", essa foi de muito mal gosto.

    • magalhaes82

      " graffiti é arte" ai é que tá o problema….

  • Pichação é arte. Já rodou diversas bienais e galerias pelo mundo. Você não gostar, o problema é seu e não da arte. A arte já superou a questão do gosto faz séculos, evolua.

    O fato de ser crime não tira sua legitimidade como arte. Assim como ser arte não vai fazer com que ela deixe de ser crime.

    Além de arte, a pichação é tipografia de alto nível, o que muito publicitário não consegue fazer/entender.

    O fato de uma marca se relacionar com a pichação não é novo, a Nike já fez uma camisa da seleção brasileira com letras de pichação, foi um sucesso.

    Publicidade não é vanguarda, mas também não precisa ser tão atrasada. O pessoal parece que vive na época da guilhotina, quando a arte era uma questão de gosto (da burguesia).

    Espero ter contribuido, o designer Gustavo Lassala fez um ótimo trabalho pesquisando a estética da pichação. pra quem procura evoluir, segue o link http://www.gustavolassala.com/

  • Andrei

    Creio que o problema do vídeo não está nem na utilização de um crime como meio para transmitir uma mensagem, e sim na AUSÊNCIA de mensagem.

    Convenhamos, algumas frases de efeito muito bem elaboradas por um departamento de marketing (e que nada tem a ver com a cabeça dos "pixadores") não é o que podemos chamar de "mensagem".

    Soou artificial demais e deixaram meio óbvio demais que foi tudo meio forjado. "Liberdade", "As pessoas tem medo do que nós temos pra dizer, por isso dizemos", "Somos produto do meio". "Temos que superar nossos limites". Onde foram que encontraram esses pixadores bem educados e quase poetas? Hahahaha.

    Se fossem frases reais de pixadores reais seria mais algo como "saê mano a gente pixa mesmo num tem purquê foda-se a sociedade foda-se a pulicia mano é nóis tá achano ruim mano então pau no seu cu aki é fristaile".

    • magalhaes82

      O que posso dizer da sua falta de conhecimento sobre o assunto?
      Você não os conhece, você está sentado olhando para uma tela e quer julgar o que não conhece com base em quê? No que passa na TV?

  • Klever

    As pessoas acabam se perdendo na questão dos "Pixadores". Não é essa a questão, penso eu – pelo menos aqui, em um blog sobre publicidade. Mas enfim. Achei o vídeo muito bom visualmente. Acho que pecou muito na narrativa – a voz da pessoa não é legal, além do intérprete não ter passado a mensagem de forma natural. Por fim, e INDEPENDENTEMENTE de gostar ou não da "arte de pichar", eu pontuo que a Puma até acertou no tema. Acho que ela quer dar um ar de "autenticidade" à marca e isso justifica o tema pichação. E aí, lembro da Nike, que sempre buscou patrocinar os esportistas bad boys.

  • fabilipo

    Chocado com o nível de "coxinhês" desse post.

    • Eu tb!!! E assustado como muitas pessoas de fato vivem em uma bolha.

      • não entendi esse comentário Chris…

        isso foi uma crítica ao post ou aos comentários preconceituosos que apareceram por aqui?

  • Rodrigo Seixas

    Acho que meu primeiro post realmente negativo sobre algo.. Lixo.. só isso que pensei vendo esse vídeo.

  • Um tema no mínimo polêmico. Resta saber se o retorno para as empresas é positivo ou não.

  • Bom, tentei comentar antes mas não rolou. Minha opinião sobre o assunto: a pixação é uma arte feia, não apreciada pela sociedade, principalmente por poluição visual. Ora, reclamar de poluição visual em São Paulo? Creio que ela era muito mais bela há 100 anos atrás, e provavelmente um paraíso natural há 500 anos. Então, não sejamos hipócritas. Eu acho feio, sim, a pixação, mas comparem só as características: Uma arte feia, sem aprovação da sociedade, que todos preferem esconder e mantê-la dentro das comunidades, de onde vêm. De onde vêm os "artistas" pixadores, das comunidades que são feias e todos tentam esconder os problemas por lá mesmo. Não será uma manifestação cultural – agressiva, radical e suja, concordo – que estes artistas estão usando para se comunicar? Acho que valeu da parte das marcas a discussão sobre o assunto, tomar um lado e, quem sabe, não mais pedir a aceitação, mas mostrar a verdade de quem são! É de se pensar hein galera!

  • Marcos Leonel

    Falando como profissional de comunicação, também acho um tema bem complicado. De um lado, as pessoas podem pensar que é um incentivo ao crime e todo argumento moralista que a gente já sabe e escuta desde de criança. Por outro lado, está um olhar holístico e político-social sobre o assunto, entender o que isso significa, o que representa para cada pessoa. Não que eu pense ou que o video mostra a pixação como algum "bom" e que não deva ser punido, mas é uma expressão legítima de quem assume os riscos de vida e as consequencias legais ao escolher expressar-se desta maneira. Acho que a marca tenta um equilíbrio entre a visão anarquista e visão inquisidora.

  • casé

    eu discordo…tiro no pé!

  • Boa tarde! Acompanhei o lançamento desse vídeo e gostei, muito mostrou a realidade nua e crua sem essa de heroísmo a que alguém pixa porque é revolucionário, a galera pixa mesmo por prazer, aventura, adrenalina e status (sim, status entre os pixadores se é uma coisa que se propaga, é porque tem público) e muito bem dito no vídeo quando se fica diante de alguma arte por um tempo aquilo vai fazer algum sentido se não faz para você é porque você não é o público-alvo e nem está inserido no meio, é linguagem interna. E no filme ainda usaram de um pensamento iluminista "a gente é produto do nosso ambiente"e quanto a pixação ser arte, quero saber se alguém aqui é capaz de explicar e definir o que é arte?

    Ah antes que falem do graffiti X pixação entenda um graffiti pode ser muito bem vandalismo por mais bem feito do que seja e uma pixação por mais horrosa pode ser autorizada e nessa história quem é o vândalo e o mocinho? Não é a toa que dentro do graffiti contamos com a categoria Vandal.

    O queridinho Banksy é artista ou vândalo?

    Falaram que faltou estudo… Que isso a parada carregada de referências, quanto a monte de símbolos que só eles entendem, claro é uma linguagem da rua como foi dito "quando a gente cria uma linguagem, tá ligado, estamos fazendo as pessoas pensarem e questionarem" é o "nós por nós" e ponto.

    A ASOS e a PUMA mandaram bem e a questão abordada que muita gente não entendeu que o conceito do filme é LIBERDADE, ela não mandou ninguém sair para pixar e nem colocou um cara voando.. Me diz qual é o jargão da juventude se não é:

    "eu sou livre para fazer o que quiser" "o livre arbítrio"… "carpe diem"…

    • Marcos Leonel

      Bem observado.

    • magalhaes82

      Bela argumentação. Os coxinhas daqui nunca se preocupam com a cidade e sua relação social, ai quando um pedaço de concreto encontra um pigmento, o mundo acaba.

  • Boa tarde! Acompanhei o lançamento desse vídeo e gostei, muito mostrou a realidade nua e crua sem essa de heroísmo a que alguém pixa porque é revolucionário, a galera pixa mesmo por prazer, aventura, adrenalina e status (sim, status entre os pixadores se é uma coisa que se propaga, é porque tem público) e muito bem dito no vídeo quando se fica diante de alguma arte por um tempo aquilo vai fazer algum sentido se não faz para você é porque você não é o público-alvo e nem está inserido no meio, é linguagem interna. E no filme ainda usaram de um pensamento iluminista "a gente é produto do nosso ambiente"e quanto a pixação ser arte, quero saber se alguém aqui é capaz de explicar e definir o que é arte?

  • Gláucia Fortes

    Ainda hoje ouvi na #estadaoespn o vem acontecendo na Praça Roosevelt, após sua recente inauguração do último sábado. Novas pixações não em imagens de artistas grafiteiros em áreas destinadas a este tipo de arte – mas sim pelas mãos do vandalismo depredador, que nada acrescenta além de destruição a paisagem de São Paulo.

    Zé, compartilho da sua opinão: também esperava bem mais deste tema tão polêmico. Fica lançado o desafio, para uma outra marcar ir além na arte e na proposta de conscientização da "molecada" que visam atingir e que, de algum maneira, tornam-se representantes.

  • DougBC

    MEDIADOR, retiro o que disse agora sobre a censura, pois os comentários foram publicados. Agradeço ao espaço democrático.

  • arquiness

    A produção deste vídeo é tão criminosa quanto a atividade mostrada nele. Isso não é um tiro no pé da marca, é um tiro no meio do rosto – inclusive do nosso. Não compro mais nada da PUMA e muito menos da ASOS. Que lixo!

    • magalhaes82

      Então vai comprar Nike que já contratou "grafiteiros" para estamparem sua marca em muros sem autorização? Tem tantos motivos para você não comprar produtos dessas marcas que você decidiu isso só depois que viu um vídeo de pixação AUTORIZADA.

      • arquiness

        Não uso Nike, parceiro. Não acredito que a prefeitura tenha autorizado isso, principalmente para um vídeo que não tem proprósito nenhum. E pra encerrar o papo, duas coisas:
        1- Não fique incomodado com a minha postura, seja feliz com a sua;
        2- Não se escreve piCHação com X.

        Forte abraço!

  • Duda

    Engraçado que ninguém acha pixação arte, mas todos amam Os Gêmeos.
    Curioso.

    • Rodrigo Thome

      Não seja ridícula. Gêmeos e pixação não tem ABSOLUTAMENTE nada a ver.

  • André Azambuja

    Pelo fato de ser legendado, mostra que é um vídeo para divulgação internacional.
    Mais uma vez uma grande marca estrangeira estragando a imagem do Brasil perante o mundo. Imagem que está cada vez melhor, mas acaba estragando um pouco com videos esteriotipados como este. o Brasil há isso, mas não há só isso. Poderiam ter usado esse espaço para divulgar o grafiitti

    • magalhaes82

      Só no Brasil que graffiti é utilizado como muleta para se defender da pixação.

      A pixação brasileira é o que o graffiti deveria ser. A única diferença que vejo é a estética, graffti e pixo são essencialmente a mesma coisa. Infelizmente a imagem do graffiti é totalmente distorcida no Brasil.

      "Mais uma vez uma grande marca estrangeira estragando a imagem do Brasil perante o mundo."

      Não gosta? Faça alguma coisa pra que nossa sociedade mude e as oportunidades de se expressar através da criminalidade diminua. O vídeo retrata algo real, ou você prefere se maquiar e se fantasiar para se exibir?

  • Leonardo H

    "As pessoas não querem ouvir. por isso a gente fala". Falam o quê? Eles não falam para "as pessoas". eles falam pra si e em linguagem própria que só quem é do meio decodifica Ou, seja, não estão falando porra nenhuma. Comercialmente, tb não tenho uma opinião formada. Pixadores vão ter acesso a esse vídeo? São target? Enfim.

  • tiago

    cara, sério, uma coisa é você mandar uma msg onde TODOS possam entender, outra coisa é escrever um nome, numa fonte horrível, sem nenhum sentido, colocar o nome da gangue e ainda dizer que "superou".

    E pelo que entendi, eles são pessoas que moram em favelas e tal, e sendo assim, provavelmente não tem tanta grana assim pra comprar roupas, tennis e outros produtos da Puma, não? Sem discriminação, mas sério, se eu não faço PORRA NENHUMA da vida e fico só correndo pela cidade pixando muros, como é que eu vou comprar uma roupa da Puma?

    Quer dizer que eles são patrocinados?

    E vai se fuder quem disse que pixação é legal. Você passa o ano trabalhando, pra fazer uma reforma na sua casa pra depois ter o muro pixado? E foda-se se foi o Bansky, também iria ficar muito puto. Se curte tanto, chama os caras para pixarem sua casa!

    Quer ser revoltado e lutar contra o sistema, beleza, faça isso pixando o muro da prefeitura, das delegacias ou qualquer outro canto que faça mais sentido do que num prédio antigo do centro ou no muro da casa de alguém. Só vai dar raiva para um trabalhor e fazer com que ele gaste mais.

    E me desculpem tantos palavrões, mas pau no cu de todos os pixadores, isso sim.

  • Mais pixação é rebeldia e menos estética, é efêmero. O cara no topo do prédio não tem tempo em jogar 4, 5, 6 cores de tinta se não roda! Parece que não entendem, isso que não entrou a Pixação carioca em cena

    Galera tem que entender graffiti é graffiti, + desenhos e menos caligrafia
    Pixação é pixação, + caligrafia e menos desenho

  • Rod2rigo

    …PIXA É HUMANO …!!!

  • cansei de ver propaganda pensada e politicamente correta. aprovo a coragem do tema. Pixar pode ser um anúncio "All Type"? Crime é ver tanta propaganda ruim sendo veiculada por aí… antigamente vadiagem e traição eram crime. espero o dia em que pixar seja apenas uma manifestação político-social. e que as propagandas sejam feitas com arte – assim como essa – mostrando uma obra aberta que instigue o consumidor, fazendo-o pensar a respeito e criando uma discussão como essa.

  • Felipe Lima

    essa ponte aqui ao lado de casa

    mundo de OZ diretamente para o mundo

  • Bikecity

    Dentro de tudo isso, temos apenas um fato. O objetivo foi atingido… Eu nunca tinha ouvido falar na Asos… Desde hoje em todos as mídias só se fala nisso. Bom ou ruim, certo ou errado, arte ou vandalismo – "Não sei!". acredito mesmo que o marketing esta colhendo…

  • Marcelo Nicklas

    A pixação é arte sim, pessoal. É arte feita por vagabundos, com velhos argumentos, como: "faço isso para poder me expressar". Se o cara tem tanta vontade de se expressar, por que será que não estudou? Por que cabulou aulas de português? Quer se expressar? Então vá fazer isso trabalhando e não sujando a cidade. Cambada de porcarias!

  • TEOR – SP

    Vi muitos comentários aqui do tipo: "graffiti é bonito, pixação é feio"; "os gemeos é que deveriam aparecer", até do banksy falaram….kkkkk
    Me poupem né?
    Vcs acham que todos os graffitis (os gemeos, finok, nunka e muitos outros artistas renomados) que são feitos em São Paulo, no Brasil ou no mundo são "COM AUTORIZAÇÃO"???
    Estão completamente enganados, a maioria deles é feito da mesma maneira que o "lixo da pixação" , SEM AUTORIZAÇÃO, ou seja… "Lixo de graffiti"!!!
    PIXAÇÃO É IGUAL AO GRAFFITI, tem atitude e ideais, uns adoram e outros odeiam, a única diferença é que um é colorido e o outro não…
    Aposto o quanto quiseram, de que, se a mídia e a moda começar a apoiar a pixação como apoia o graffiti, muitos recalcados que aqui escreveram "lixo, feio, podre, etc" vão começar a amar e achar SUPER LEGAL!!!
    Chega né…
    Bando de hipócritas!!!

  • Lucas Almeida

    Ahhh velho, para neah?
    Acho que vocês dão mais valor a questão da ordem , do "certo", do padrão, distanciando tambem dá realidade de cada um de vocês. PIXO é uma forma muito interessante de expressão, por mais que muitos não entendam!

    Banksy é MUITO bom, porém, dentres as formas de expressões marginais, o PIXO é uma das que se tem pouco interesse entre estudioso, e que carrega uma vasta forma de expressão.

    Aliás, para além de guerras de gangues, o pixo carrega uma expressão simbólica da realidade de cada grupo. então… lamentável ter tanta visão fechada em relação a tal manifestação!

  • Um lixo.
    Qual a ideia afinal? Transformar vândalos em heróis renegados pra vender atitude!? Mas de que atitude estamos falando? Bandidagem e vagabundagem travestidas de liberdade? Lamentável!
    Atrelar uma marca a esse tipo de conteúdo me parece uma investida bem duvidosa.

  • magalhaes82

    É engraçado ver um monte de publicitário que fuma maconha, enche a cara e dirige julgando pixadores.

  • Para a Puma e Asos o PIXO é o novo GRAFFITI.

  • KLÃDESTINO

    O QUE É DE FORA É SEMPRE MAIS BONITO ENTÃO??…uma pena, toda uma população cega, que não sabe e nem se preocupa com o que realmente importa de verdade…VIVA A LIBERDADE! VIVA A RESISTÊNCIA! Um salve a todos àqueles que não se curvam a um sistema corrupto. VIVA O PIXO!!!

  • Hoje mesmo um grupo de "artistas" desses pixou toda uma escola aqui em Porto Alegre, além de quebrarem diversas janelas e roubarem computadores. Tiveram que cancelar as aulas. E tem gente que ainda vem defender esses marginais. Aliás, será que eles pixam suas próprias casas?

  • Ricardo Coimbra

    Minha opinião? muito blá blá bla!

    A pixação nunca foi e nunca será arte. Ela é um diálogo fechado entre quem faz e o substrato, a rua. O problema é que o pessoal tem o péssimo hábito de querer comparar as coisas, de querer entender a pixação… desista, você não vai conseguir. E justamente pelo fato dela estar escancarada, cuspindo na sua cara e você não conseguir decifrá-la é que você a julga feia, julga como sujeira.

    Gemeos? Banksy?… o buraco é bem mais embaixo. Procure se informar

  • no220

    Se pensar pelo mote da sensação de criar algo, correr riscos e fazer o que gosta sem esperar julgamentos, a proposta se cumpre. Mesmo com a polêmica.

  • magalhaes82

    SÓ EXISTIMOS QUANDO SOMOS PERCEBIDOS
    Foda é que quem já existe e tenta julgar aqueles que querem ser percebidos de algum jeito, seja o jeito que for. Pense, não há vaga para todos serem santos.

  • Franklin

    Botando lenha na fogueira:

  • Como o cara mesmo diz: "somos fruto da nossa sociedade." Têm uma razão, um contexto e um porque.
    Apesar de não ser responsabilidade do filme contar a histótia da pixação. Os teasers geraram uma expectativa que não foi atendida…esperava um filme de 30mins.
    No mais, Foda! Deu vontade de usar PUMA.

  • Heyy Gus

    Tem takes muito fodas, de dar inveja.
    Mas roteiro deixa muito a desejar. Não me acrescentou em nada, a não ser como referência de fotografia e filmagem.