15.jan.2014

Coletivo ZERO pede respeito ao trabalho criativo

Filmes mostram situações que fazem parte do cotidiano de quem atua na área, aplicadas a outros profissionais

O assunto já foi até tema do Braincast 26 – Não me peça de graça a única coisa que tenho para venderAinda assim, criativos ao redor do mundo continuam enfrentando o mesmo problema de sempre: pessoas que não entendem que o que fazemos é um trabalho como outro qualquer, que também consome tempo, exige conhecimento e habilidade. Na Itália, o coletivo ZERO resolveu iniciar uma campanha para estimular o respeito pelo trabalho criativo.

São três filmes – que tiveram sua produção devidamente paga – que retratam situações vivenciadas por muitos criativos em algum momento de suas carreiras, mas aplicadas a outros profissionais: um encanador, um jardineiro e um antenista: o cliente que oferece como pagamento a divulgação do trabalho, ou que simplesmente diz que o profissional deveria ficar satisfeito com a oportunidade de participar de um projeto único. Tem, também, aquele que acredita que o que vale é a experiência.

A mensagem é que não é porque muitas vezes pode ser divertido e apaixonante, que deixa de ser trabalho. Ou, como resume o slogan de #coglioneNo (algo como babaca, não):”Sou um criativo, não um idiota”.

O idioma dos vídeos é o italiano, mas é possível acionar as legendas, em inglês. Já para quem está com saudades do Braincast – que estará de volta no final deste mês – vale ouvir novamente o episódio 26.

Também no B9

Comente