Clicky

bikes-cidades

Cidade norueguesa propõe “pedágio inverso” para ciclistas

Quem passava pela ciclovia recebeu um “pagamento” como recompensa pela escolha de um meio mais sustentável de transporte

23.out.2014
seção apresentada por

Enquanto São Paulo lida com a resistência à implantação de ciclovias pela cidade, em Lillestrøm, na Noruega, o pensamento é o inverso: o município chegou a testar uma teoria de um “pedágio inverso” para ciclistas, oferecendo um pagamento de cerca de 35 reais para quem estivesse trafegando de bike.

“Incentivar as pessoas a caminharem ou pedalarem é rentável para a sociedade. É um benefício para a saúde, para o meio ambiente e para o sistema de transporte”, defende o prefeito da cidade, Ole Jacob Flætene.

A campanha utilizava dados de uma pesquisa feita pela agência norueguesa de saúde, que revelou que modelos de transporte mais ativos oferecem uma economia para os cofres do governo – cerca de 8 dólares por quilómetro caminhado e 4 dólares por quilómetro pedalado.

O pedágio reverso que pagava ciclistas, contudo, durou poucas horas, e tinha como principal objetivo incentivar a reflexão. “Torcemos para que essa ação possa colaborar para uma mudança sobre como organizamos o transporte nas nossas cidades”, espera o prefeito.

Quem sabe São Paulo esteja lidando com a famosa resistência a mudanças – já pensou de repente podermos ver bicicletas, pedestres, patins e gente de patinetes urbanos circulando pela cidade?

Comente