BCast179_capas-01

Braincast 179 – Quem ajuda a autoajuda?

Como a cultura do pensamento positivo e empreendedorismo messiânico te colocam pra baixo

18.fev.2016

Na última década, o mercado literário de autoajuda cresceu 700% (!) no Brasil. Na era digital, o filão aproveitou para se espalhar em todos os formatos possíveis. Está nas redes sociais, nos vídeos, nos podcasts, em eventos de empreendedorismo e imagens motivadoras, levando a ditadura da felicidade e riqueza obrigatória por onde passa.

No primeiro Braincast de 2016, discutimos a indústria do pensamento positivo e seu implacável impacto na nossa vida pessoal e profissional. Basta pensar positivo para obter sucesso? É só focar e acreditar nos seus sonhos para ser feliz? Fracassado é aquele que não de dedicou o suficiente?

> OUÇA

========

PATREON DO BRAINCAST

Sim! Ele chegou. Saiba como se tornar um patrono do Braincast aqui.

========

Download | iTunes | Feed

========

Críticas, comentários, sugestões para [email protected] ou nos comentários desse post.

> Edição: Caio Corraini
> Sound Design: Caco Teixeira
> Arte da Capa: Johnny Brito

Assista ao Qual É a Boa? em vídeo

ASSINE O CANAL no YouTube

Comente

  • José Rafael Braga

    Aeeeee!!! Que saudade! hahaha

  • AnaniasJr

    Ah não, voltou com as vinhetas de 2015 /o

  • Elaine Cristine da Silva

    Eu entrava aqui todo dia procurando episódio novo. Feliz por este dia finalmente ter chego.

  • spike06

    Quem vigia os vigilantes? Quem ajuda a auto-ajuda?
    O discurso motivacional definitivo é o do Shia Labeouf .

    • iolanda andrade

      Na verdade esse motivacional do Shia é mais um desafio para que montagens sejam feitas no chroma key do fundo.
      *flies away*

  • Renan Mateus

    Agora sim começou o ano…

  • Lionel Seku Mello

    Ontem mesmo conversávamos sobre quando voltaria o Braincast, e, que bom que foi hoje! Vamos ouvi-lo, e, depois xingá-lo comentá-lo.

  • Jabez Asafe

    Acho que a musica que o cara dos comentando os comentários falou foi essa:

    E esse negócio de autoajuda nunca funcionou comigo, “sorria, você é um vencedor” Eu tenho consciência de que sou um merda e nem por isso vou ser mal sucedido, só tenho a minha mente mais voltada pra realidade.

    Ótimo cast e ainda bem que voltaram. Antes tarde duke nukem.

    • Renan Mateus

      Você não é tão merda em referências e trocadilhos.

  • Jabez Asafe

    E sobre o Patreon, faltou estabelecer as metas.
    Ex: com 1000 doletas vc fazem um Braincast em video, 500 transmitem a gravação do Braincast e etc.

  • José Carlos Crotti

    Parabéns excelente abordagem, vocês mostraram exatamente o que são esses pseudos empreendedores sem serem generalistas. O artigo do Ícaro também é muito bom.

    Porém teve uma menina no facebook que fez uma crítica e no texto ela citou assim:

    “Pode acumular diplomas norte-americanos, mas calma lá, coleguinha, não vem enfiar essa colher de plástico no meu angu. Eu lamento que pessoas adultas, com potencial criativo, elejam ídolos como Bel Pesce e esse cara do Geração de Valor.”

    Quero dar ênfase para a parte do “e esse cara do Geração de Valor”. Da para perceber que realmente ela não conhece o Geração de Valor e muito menos quem é o Flávio Augusto.

    No próprio texto ela diz o seguinte:

    “…a gente não deve avançar sobre um terreno que não conhece.”

    Exatamente, ela fez uma crítica a um projeto e uma pessoa que ela nem se deu o trabalho de pesquisar e conhecer a fundo, provavelmente se baseou apenas pelas ilustrações da página do facebook que é uma excelente estratégia de marketing(Ela não deve saber para que serve) para a página. Antes de fazer uma crítica vazia, é melhor pesquisar primeiro para não passar vergonha depois.

    O próprio Flávio fala sobre isso, onde diz que o próprio empreendedor de sucesso é o melhor professor, do que alguém que nunca empreendeu falar sobre empreendedorismo (Faculdade de administração está cheio), segue a citação do Flávio.

    “Eu não li essas informações num livro ou ouvi alguém falando numa sala de aula, que ouviu de outro professor, que ouviu de outra pessoa, numa palestra que leu em algum lugar… Eu vivi isso por mais de 20 anos. Ninguém me contou. Aliás, vivi não, vivo ainda até os dias de hoje. Tudo isso vale para mim em primeiro lugar, pois nenhum resultado que conquistei foi uma mera casualidade.”

    Foi um ótimo tema para a reflexão, abraços braincasters.

    • Patrícia

      O Flávio tem uma história pessoal realmente fantástica, mas sim, ele se tornou mais um desses “Gurus de autoajuda”. Seguir a rede social dele (e eu sigo, não sei mais pra quê, porque não vi mais nada de útil) é basicamente vê-lo falar todo dia como ele é foda, como ele é o dono da razão e como o que funciona pra ele tem obrigatoriamente que funcionar pros outros. Se você está no time de fãs dele, você é um “empreendedor abençoado”, dono de toda a sensatez do mundo, um verdadeiro visionário e merecedor do céu; se você é uma pessoa simples que quer trabalhar numa boa empresa ou mesmo prestar concurso você “pensa pequeno, e cuidado pra não se ferrar na vida”. Acho que já vi discursos parecidos vindos de certas “igrejas”.

      Discorda de algo que o mestre fala? “Refute meus milhões.” Olavice pura.

      O que ele fez funcionou pra ele. Outra pessoa no lugar dele poderia ter ganho grana com o trabalho que ele fazia e aberto uma empresa de outra coisa, ou ainda não ter feito empresa nenhuma; poderia ter ganho mais ou menos dinheiro que ele de muitas formas diferentes, e nada disso faz ninguém melhor ou pior que ele. A verdade é que ele vende pra todo mundo que a riqueza dele é alcançável e que se você não consegue, a culpa (ou incompetência) é apenas sua. Não existe contexto, não existem aptidões e vocações individuais diferentes, nada está no seu caminho, todo mundo pode ser empreendedor e ficar rico, é tão simples como começar.

      E nada de falar dos milhares de empreendedores que falham todos os anos, afinal nada se aprende estudando o fracasso… Ei, o cursinho dele não é justamente um monte de casos de sucesso? Mostrar fracassos e realidades mais duras de perto poderia desmotivar essa galera a pagar a mensalidade e deixariam de “acreditar no sonho”. Não queremos isso.

      Enfim, se a mina do post lá comparou ele com auto-ajuda barata, ela não tá muito errada não: uma vez fui olhar o preço do cursinho dele e não achei tão barato assim. Então é “auto ajuda barata custando caro”. =)

      Acho que qualquer um capaz de somar 1+1 consegue sacar que ele mesmo jamais perderia tempo fazendo aquele curso dele.

      • Patrícia, acho que você não conhece tão bem o trabalho do Flávio.

        Em todos os seus textos, vídeos e podcasts, ele ressalta que empreender dá, sim, muito trabalho. É difícil mas é possível.

        Ah, e o “cursinho” dele mostra, também, os fracassos dos empreendedores, viu? Essa, aliás, é uma das partes mais legais dos estudos de caso…

        Mas, se você não tá a fim de assinar o “cursinho” para conferir, ouve estes podcasts que ele disponibilizou gratuitamente:

        http://geracaodevalor.com/gvcast/podcast/historias-12

        http://geracaodevalor.com/gvcast/podcast/historias-de-fracasso-2-pra-acertar-voce-tem-que-errar-15

        Quer ouvi-lo falar de uma realidade “mais dura”? Escuta a história deste cara:

        http://geracaodevalor.com/gvcast/podcast/o-ex-catador-que-ficou-milionario-4

        Acho que esse material vai ajudar você a formar uma opinião mais embasada sobre ele.

        • Patrícia

          Bom, eu escutei a série dele toda sobre empreendedorismo no Nerdcast. Se pra você isso não é suficiente pra eu construir a minha própria avaliação do que ele faz com essa faceta dele de mass-coaching de empreendedorismo, bem, é a sua opinião – e ela continua não invalidando a minha. Já vi / li / ouvi o suficiente dele pra sentir que, pra mim, é enrolação.

          • Patrícia, realmente, acho que ouvir a participação dele no Nerdcast é muito pouco para fazer afirmações tão categóricas sobre o seu trabalho como as que você fez.

            Ele fala (bastante!) sobre fracassos, ele fala (bastante!) sobre o trabalho que dá desenvolver um negócio (e ele não teria criado uma escola de negócios como o Meu Sucesso para ensinar marketing, finanças, administração de recursos humanos etc se as coisas fossem tão simples…)

            Por isso sugeri que você desse uma olhada nos conteúdos que eu linkei acima.

            Você pode até manter a sua opinião, mas, certamente, a sua crítica seria mais bem fundamentada.

          • gandralf

            Sério mesmo que você ouviu os episódios e só ficou com este espantalho?

        • Exumador e seus Paquitos

          Nossa… Impressão minha ou o Flavio virou o novo Olavo de Carvalho? Pq é exatamente que ele é, um Olavo com muitoooooooo dinheiro, o que não me faz respeitar nem metade do q ele fala. Ele fala como um pastor, o podcast q ele reproduz uma palestra para seus funcionários e apresenta o “conceito” do cheque em branco, ou algo do tipo, mais me parece um culto do Edir Macedo, sem o carisma do Edir Macedo.

          Sério, não me importa a história de vida do sujeito, não me importa de onde ele veio e nem aonde chegou. Oq me importa são suas palavras e as do Flavio são floreios para ouvidos de seguidores famintos por esperança.

          Não, não invejo nem um pouco seus milhões, pelo contrário, invejo muito mais o intelecto de um Machado de Assis a um bolso recheado como do Flavio.

          Essa geração que acha q o cara só é bom se ganhar milhões ou se matar de trabalhar me cansa a cada dia.

          Realidade mais dura? Sério que esse cara sofreu tanto assim? Nossa, que coitado né cara… Q saber oq é uma realidade pura passa um dia apenas em alguma comunidade.

          Um cara q deixa nas entrelinhas que não é tão importante assim fazer uma faculdade não merece meu respeito. Queria mesmo saber se os diretores das empresas dele são todos autodidatas, como ele assim se define…

          • Exumador, não é preciso seguir alguém cegamente ou concordar com todas as suas ideias para poder extrair algo de positivo do que ele fala.

            Graças a dicas do Flávio, da Bel e de alguns outros “empreendedores de palco”, iniciei um negócio que me tem sido extremamente gratificante e já me rende mais do que a minha ocupação principal.

            Vale ressaltar, porém, que os “empreendedores de palco” que eu citei não defendem que você “só é bom se ganhar milhões ou se matar de trabalhar”.

            Ao contrário, eles defendem que o seu sucesso depende do valor que você gera para as outras pessoas (e talvez você não precise ter um diploma para fazer isso…)

            O dinheiro que você fizer pelo caminho será apenas uma bem-vinda consequência. :)

            Aposto que, se vencesse alguns dos seus preconceitos, você também poderia aprender bastante com eles.

            P.S.: a realidade dura a que me referi em meu comentário anterior era a do Geraldo Rufino, ex-catador de lixo, que contou sua história em uma entrevista memorável ao Flávio:

            http://geracaodevalor.com/gvcast/podcast/o-ex-catador-que-ficou-milionario-4

    • Perivaldo

      Meu querido, acho que o blá blá blá vazio de conhecimento do carinha do Geração de Valor não é sobre seu street wise na área de negócios. É sobre política, cultura e crítica social. Nestes campos é totalmente evidente que o Flavio Augusto é um idiota agressivo. Veja, não é errado ele nunca ter lido o Marx. Tem tanto livro que ele poderia se interessar no lugar d’O Capital! O problema é ele sendo louco alucinado falando de doutrinação marxista sem saber o que é marxismo. Ele vem terraplanando o cérebro de uma legião de brasileirinhos esperançosos de vencer a corrida do ouro ao mesmo tempo em que vomita consevardorismo, ignorancia ativa em política, sociedade e cultura. A parte do empreendedorismo é o que menos pega no caso dele. Um abraço.

      • Designprogressivo Barros

        brother o dia que você tiver seu primeiro bilhão você vem falar mais asneira

        • Perivaldo

          Ah, entendi! Existe um contrato em que é possível falar quantas asneiras forem desejadas MAS APENAS depois que se ganha o primeiro bilhão??? Interessante. Sendo assim, de fato, o Flavio Augusto tem permissão para falar tanta imbecilidade.

          O que me deixa em dúvida é o fato de que você, com esse nickname, provavelmente é designer, o que redundaria EM NÃO SER BILIONÁRIO JEITO NENHUM. O que nos leva à conclusão inescapável: VOCÊ ESTÁ VIOLANDO O CONTRATO. Vá ganhar seu primeiro bilhão, antes!

          • VICTOR COELHO

            É o espírito “Voa TelexFree”!!

        • Exumador e seus Paquitos

          Tenho dó de vc…

  • Márvio

    Achei que vcs voltariam em abril.

  • Renan Mateus
  • Mark Martins

    Um dos melhores programas de todos os tempos.

    Vamos a alguns links para research para dar um top up na discussão :

    Esses eu acho que são os “melhores” na nova onda do “coaching” e “mudanças de vida”
    http://experienciadesucesso.com.br/ site brasileiro
    http://www.srpl.net/ site americano

    Eles até tentaram trabalhar aqui em UK mas não conseguiram por motivos que não precisamos falar sobre
    quando encontraram um super grupo de brasileiros dispostos a levar toda a filosofia de “mind set milhonaio” para o Brasil onde a lei é digamos um pouco mais flexível… eles abriram empresas ai e tem lotado diversos lugares….

    é super interessante ver como isso é um mercado enorme, e muito pior do que imaginamos, uma coisa que eu notei é que se voce trocar a palavra “DEUS” por “VOCÊ” o discurso é basicamente o MESMO de algumas igrejas… como dizem aqui “the Godless priests”

    Vale muito a pena da uma olhada.

    • André Dorte Dos Santos

      Sentimento de pertencimento, de ser melhor que os outros, de possuir um algo a mais que te dá vantagem e os outros não tem.
      Tudo isso a nossa mente acaba procurando, seja na igreja, na autoajuda, ateísmo/ceticismo ou no trabalho.

      • Allan Chyaromont

        Mas auto ajuda não faz você se achar melhor do que os outros, faz você achar que você pode tanto quanto os outros.. Esse é o espírito bom da auto ajuda. Auto estima e confiança em si mesmo!
        E se as pessoas não ficassem impactadas com isso tudo, não faria tanto sucesso..
        Se quiser ouvir uma opinião legal a respeito desse assunto de Coach, principalmente, mas serve para auto ajuda tbm, segue o link do podcast do Murilo Gun onde ele fala sobre isso..
        http://guncast.com.br/motivação

  • Bruno Serrão

    Sinto falta do tempo em que começa e termina a leitura de emails ou quando começa a pauta principal, na descrição do cast. Eu mesmo costumo pular para o conteúdo mas quando essa informação não está mais disponível, fico pulando o cast procurando o timer certo do cast.

    • Matheus Popst

      É que naquele tempo a leitura de emails ainda não era profissional e comandada por Guga Mafra. Hoje a leitura de emails é um espetáculo a parte.

  • Punpun

    The 100 mostra que depois de uma guerra, quando a terra se tornar habitável à humanidade novamente, nós evoluiremos para adolescentes com pele e cabelos estupendos, independente da situação.

    • Eu achei que era assim e por isso demorei pra ver. Dá uma sacada e você vai descobrir que, depois do primeiro par de episódios, que são os mais fraquinhos, a série se acerta e todo mundo fica sujo e desgrenhado, ehehehe.

      • Monster

        Mas a galera continua gostosa pra caramba, né? Senão eu boicoto! :P

      • Punpun

        Vou tentar novamente, na confiança!

  • André Dorte Dos Santos

    Já acompanho o B9 a uns 3 anos e nunca tinha comentado, mas essa edição me auto ajudou a encontrar motivo para buscar me redimir desse erro, vamos lá:

    Já li muito sobre auto ajuda, já participei de treinamentos sobre e tenho amigos próximos que trabalham com isso (em empresa com mais de 10 anos). Por causa dessa proximidade já me perguntei várias vezes até que ponto vale o investimento ou apenas explora fragilidades das pessoas.

    A conclusão que eu cheguei é que tem os dois pontos, charlatões existem em todo lugar. E também tem o lado da pessoa, se alguém paga a academia mas não faz nada o dinheiro foi jogado no lixo. Por outro lado se essa chacoalhada faz o aluno pegar a matéria dada, se aprofundar e aplicar, o retorno é enorme.

    Muitas vezes os conselhos e conceitos são óbvios, mas quantas vezes a gente não costuma a ter preguiça, não fazer o óbvio e deixar de planejar, persistir, se esforçar? Essa chacoalhada ou confirmação pode ser a diferença entre mudar algo ou ficar apenas se lamentando da vida.

    • Allan Chyaromont

      É isso aí..

  • Victor Mantovani

    Jonathan Strange & Mr Norrel, é muito boa, esbarrei na série e recomendo a todos, principalmente fãs de Harry Potter que querem ver algo um pouco mais sombrio.

  • Allan Chyaromont

    Acho que no programa faltou um pouco de “contra argumentos”.. Focaram muito em ironizar e atacar os lados negativos, mas não deram importância ao lado positivo de tudo isso..
    Só o Merigo, que eu lembre, que falou sobre os lados positivos..
    E esse argumento de ” A pessoa se motiva e se fracassar, chora e sofre” é a maior furada…. Quem pesquisa sobre empreendedorismo sabe que o que mais falam é sobre o fracasso ser a coisa mais importante na vida de um empreendedor.. A cada fracasso há um enorme aprendizado… E é isso aí, nunca discordei tanto em um episódio, como nesse.. Mas assim que eu gosto!!

    Vamos valorizar histórias como a do Geraldo Rufino.. Ainda não li o livro dele, mas recomendo mesmo assim.. Provavelmente deve ser o melhor livro de “auto ajuda” de hoje…

    E para deixar mais um conteúdo, aconselho que escutem esse episódio do GunCast, com Murilo Gun… Ele fala sobre esse mundo de coach e empreendedor de palco.. Vale a pena escutar, é bem rapidinho.
    http://guncast.com.br/motivacao

    • Estava ouvindo o podcast a pedido de um amigo e fiquei esperando o momento em que apresentariam opções à favor do assunto. Já estou em 1:07 e até agora nada. Dá para ter uma noção a linha de pensamento que os apresentadores seguem, acho que foi por isso que assinei o Mamilos e não o Braincast. Quanto a história do Rufino é bem legal mesmo ;)

      • Hater de Terceira Idade

        PUFFFF

    • Faltou convidar alguém que pensasse um pouco diferente da maioria do grupo. Isso com certeza teria enriquecido o debate, que, infelizmente, acabou ficando “raso”.

      • Exumador e seus Paquitos

        mimimimi

      • Hater de Terceira Idade

        QUANTO MIMIMI CARA… QUANTO VITIMISMO DE SUA PARTE. QUER SABER MAIS PESQUISE, ELES TE ENTREGARAM A VARA, PEGAR O PEIXE É POR SUA CONTA E RISCO.

        • Eu já pesquisei, Hater. Foi exatamente por isso que apontei a superficialidade do programa. :)

          • Hater de Terceira Idade

            EXISTEM CONTEÚDOS QUE NEM SEMPRE ESTAMOS PREPARADOS PARA ELE. ESSE PODE SER SEU CASO… QUEM SABE QDO ESTIVER MAIS MADURO ISSO MELHORE.

          • Tomara! ;)

          • Leo Castro

            Do not feed the trolls…

      • Juliana Franchin

        Oi Renato, não sou muito consumidora de livros de autoajuda e na maioria do tempo concordei com a galera da mesa, mas, de qualquer forma, parabéns pela tranquilidade na argumentação para manter o nível da discussão. O contra-ponto no programa com certeza deixaria ele mais rico, sim :)

    • Catena Hernandez. Nada demodê.

      Não existe oq defender nesse tipo de coisa…

  • Merigo: perai, rapidinho.

  • Chá Carioca

  • Não sei que tipo de “auto-ajuda” o pessoal do Braincast leu/viu/ouviu, mas me parece que eles não se deram o trabalho de pesquisar o assunto a fundo e preferiram se limitar a generalizações simplistas.

    É claro que existem charlatães em todos os ramos, mas os grandes players da “auto-ajuda”, incluindo a “corporativa”, como o Flávio Augusto e a Bel Pesce (referida em uma insinuação maldosa logo no início do programa) ressaltam a necessidade de se entrar em ação, de se colocar o conhecimento em prática.

    Um olhar menos enviesado e preconceituoso por parte dos apresentadores teria melhorado (e muito!) o episódio.

    Acho que este post pode ajudar a fazer o contraponto que ficou faltando no programa: http://vidadestartup.stfi.re/bel-pesce/?sf=grekjz

    • Eu li, Renato, mas não ajudou.
      Foi mais um texto cheio de platitudes e palavras genéricas de ordem para defender um conteúdo cheio de platitudes e palavras genéricas de ordem.

      Eu pesquisei o assunto a fundo sim, e não vi muita diferença disso pros cultos em igrejas, que coloca a multidão num delírio coletivo em troca do dízimo.

      Valeu pela audiência e comentário, abs!

      • Então, Merigo, na próxima vez que forem discutir um tema polêmico procurem convidar alguém que pensa um pouco diferente da maioria do grupo. Isso com certeza enriqueceria mais o debate. De resto, parabéns pelo trabalho! ;)

        • Leo Castro

          Eles não fariam isso…Senão a pessoa pode colocar em xeque os “argumentos” né…

      • Marcio Florindo

        Delírio coletivo foi ótimo, sábado estava na igreja, e uma pessoa relatou a situação de uma mulher que perdeu o marido (esposa e marido da igreja local) aonde com o falecimento do esposo, a mulher entrou em depressão e não tinha condições de terminar de arrumar a casa, nem algumas coisas básicas, o rapaz então propôs uma ajuda tanto financeira quanto alguém que soubesse colocar um forro e arrumar algumas coisas da casa, e pediu para que se alguém pudesse ajudar, que erguesse a mão… foram tantas mãos erguidas que deu muito orgulho de ser cristão e fazer a diferença para uma unica pessoa… suas palavras podem sim ajudar ou as palavras de uma menina muito criticada no programa, pode fazer a diferença pra alguém… como o “delírio” fez a diferença final de semana para uma pessoa.

      • SIlas Mario Bros

        A fundo eu duvido, Merigo. Sabe quando você quer pular um muro mas acha que não consegue subir? O que a autoajuda faz é apenas te dizer: vai, sobe, você consegue. Se você quer subir e se esforçar pra isso, você vai conseguir. Quem não quer, não sobe. Quem tem preguiça ou medo de subir, não vai conseguir também. Ninguém é obrigado a nada, mas todos têm o direito de saber que podem ter um estilo de vida diferente da maioria. Detalhe: eu sigo alguns desses caras da autoajuda aí não porque eu quero ficar rico, mas pra me motivar na vida mesmo. Estou saindo de uma depressão e devo muito à autoajuda. Acredite, eu não teria conseguido subir este muro se não insistissem que eu poderia e conseguiria.

        • Paulinho Siqueira

          Se vc gosta desse tipo, vai se surpreender com o Coachcast.com.br.
          Não é autoajuda, é coaching, essa é a diferença, mas é melhor que ouça mesmo.

    • Leo Castro

      Renato, não adianta postar nada semelhante…Não deu pra perceber que a pauta é tendenciosa ?

  • groselha

    cade o mupoca?

  • VICTOR COELHO

    Melhor vídeo de empreendedorismo : https://www.youtube.com/watch?v=wy4g4mP8PAk

  • Danilo Dvalmont Lobo Matos

    Estava precisando ouvir esse bate papo meninos. Muito obrigado!

  • Henrique Martins Carvalho

    Gostaria de relembrá-los que o Guga continua sendo o super sagaz.

    • Catena Hernandez. Nada demodê.

      Super-chato-pra-cacete…

  • igorzets

    To lendo o a serie The Magicians indicada pelo Maron e no qual a SyFy se baseou pra fazer a serie… O primeiro livro é bem bom, ja to no segundo, mas achei estranho os atores serem tão velhos sendo que no livro são adolescentes.

  • Catena Hernandez. Nada demodê.

    Os sujeitos que vivem agora fazendo esse tipo de palestra sempre me deram no saco. Existem alguns podcasts q fazem esse tipo de coisa como um misto de injeção de ânimo ou qk coisa q o valha…. Passam um fino verniz intelectual através de uma colcha de retalhos com frases celebres, músicas e textos pseudointelectuais…

    São os pastores do século 21… Conseguem um mundo de seguidores que se acham mais inteligentes que a média, sendo q o mais irônico é que caem nas mesmas técnicas que a Dona Maria cai qdo vai a algum culto pentecostal…

  • Charles Muller

    Flávio tem empresa pra cacete e todas elas de sucesso. Li esses dias que a Wise Up já lucrou mais de 30% no último mês. O cara tem resultado e sabe o que fala. Ele tem moral pra falar. A Bel tá ganhando dinheiro a rodo e quem somos nós pra criticar essa galera?
    Acho que tem muito recalque aqui nessa página e no podcast tb.
    Vamo parar com o mimimi e bora trabalhar, seus vagabundos! kkkkkkkk

    • Exumador e seus Paquitos

      Verdade né cara. O sujeito ganha dinheiro ele é genial. Fodão… Pode falar a merda que quiser e cagar a regra que quiser como dizer que estudo formal é merda e faz o cara perder tempo… Esses seus heróis são muito fodas cara… Vou pegar pra mim tbm…

      E claro, muito recalque desse povo do cast, até pq o objetivo de todo mundo no universo é apenas ganhar dinheiro e ser um rôludo fodão…

      • “Exumador”, não me lembro de ter ouvido/lido/visto o Flávio dizer que estudo formal “é merda”. Você poderia indicar onde ele “cagou essa regra”?

        Eu só me lembro de ele dizer, várias vezes, que o sucesso profissional não passa, necessariamente, pelo sistema de ensino tradicional (embora ele tenha sua importância a depender da área a qual você pretende se dedicar).

        • Charles Muller

          Boa, Renato! O cara deve ser só mais um zé droguinha da internet.

          • Hater de Terceira Idade

            Defina o termo: Zé droguinha

          • Charles Muller

            Me obrigue.

      • SIlas Mario Bros

        Não me recordo de ler ou ouvir o Flavio falar nada disso. As pessoas, implicantes com qualquer coisa, na ânsia de atacar se esquecem de pensar um pouco. Se eu falar que a faculdade é uma merda, eu não estou invalidando o estudo de maneira nenhuma. O ensino tradicional, o modelo como é hoje em dia está, há muito, defasado. Porém há muitas outras maneiras de estudar. O Flavio aprendeu a ser um vendedor e não foi numa faculdade.

      • Exumador e seus Paquitos

        Meninas e meninos, como disse lá em cima em resposta do Silas Mario, tudo que é dito pelo Flavio tem dois contextos, fica bem claro nas entrelinhas que só é vencedor quem junta muito dinheiro. Que só é rôludo quem consegue seu milhão… Que o cara tem q ser empreendedor caso contrário nunca terá prosperidade ou algo do tipo. Será q um cara tão inteligente não sabe q existem pessoas e pessoas? Que não são todos que querem o mesmo que ele? Q ñ são todas as pessoas que acham importante aquilo que ele acha?

  • Ansioso pra ver se a rapaziada vai abordar o mais novo fenômeno da TERRAPLANA, e os terraplanistas.

  • gandralf

    “Quem não fez não tem a moral de dizer como faz”
    Poff.
    Morreu mais um professor de desgosto.

  • Renato Santos

    Concordo que essa industria de empreendedorismo/auto ajuda pode ter um efeito colateral perigoso com possíveis frustrações, quase tudo tem efeito colateral, verdade absoluta está mais próximo da mentira do que da verdade.

    Deslumbrando outros segmentos, como futebol, música e etc… milhões de jovens também tentam e nunca conseguem uma ascensão social a grande diferença é que no empreendedorismo você acha livros falando sobre a importância de falhar.

    A frustração está presente tanto em tentar e falhar, quanto no não tentar. Por isso, acho que essa industria da auto-ajuda, é necessária, a pessoa por mais cética, precisa acreditar em algo, as pessoas não vivem simplesmente conformadas com o fato de fazer parte de 99,9% das pessoas que teram uma vida mediocre, todo mundo deslumbra uma vida melhor, fazendo a diferença no mundo, legado, história e Blá Blá Blá.

    Em nenhum momento Bel Pesce ou Flávio Augusto disseram que seria fácil, e reitero, alguns gostam do MR. Catra, do Neymar, eu sou fã sigo, e protejo eles, acredito que o papel social exercido por eles é muito maior do que de jogadores de futebol ou mcs por exemplo, por mais que o empreendedorismo seja difícil, ele tem o poder de te tirar da zona de conforto, mudar sua percepção de mundo
    e questionar o sistema, isso não minha visão já é transformado.

    • Perivaldo

      “Questionar o sistema”. Depende de que sistema você tá falando, né? Sistema tributário? Sistema de entregas? Rs.

  • SIlas Mario Bros

    Ainda não ouvi o episódio, mas já estou indo fazê-lo um pouco decepcionado pelo que imagino que vou ouvir. Só de ler na descrição que chamaram de “ditadura da felicidade e riqueza obrigatória”. Eu acompanho o Flavio Augusto, Murilo Gun e Conrado Adolpho e nunca ouvi de nenhum deles que eu era obrigado a ser rico muito menos que ser rico significasse ser feliz. Muito pelo contrário, Flavio Augusto já afirmou diversas vezes que ele não é mais feliz hoje do que quando era antes de ser milionário. Sinto que falta uma boa vontade em conhecer mais do que se fala, infelizmente, pois sou ouvinte e fã do programa.

    • Exumador e seus Paquitos

      Acho bom vc ouvir os programas dele “lendo” as entrelinhas. Pq sempre fica claro que os líderes, os melhores são os ricos. Isso é bem claro no contexto de tudo que ele fala. Fica bem explicito no programa que ele reproduz uma palestra dada a seus funcionários, sobre o cheque em branco ou cheque com valor X ou algo assim…

      Murilo Gun é apenas um boçal que está seguindo a onda… Conrado Adolpho?

      • SIlas Mario Bros

        Não fica claro, não. O Flavio Augusto sempre reitera que o dinheiro é consequência. O que ele incentiva é o empreendedorismo, a independência, a realização de um negócio pessoal. Dinheiro, riqueza, isso vem como consequência, não deve ser o foco. Ouça TODOS os episódios do GVCast, sem preconceitos, que você vai ver que falo a verdade. De resto, seu comentário fala contra você mesmo. Não conhece nada do trabalho do Murilo Gun, que é com CRIATIVIDADE. Esses dois que citei, têm gabarito para falar porque realizaram grandes coisas e estão longe dos charlatães citados no episódio do braincast.

  • Paulo Ricardo Amaral

    Sabe o que eu acho irônico? Tanto Flavio Augusto quanto Bel Pesce são portadores daquele complexo de vira-lata, o diagnosticado pelo reacionário Nelson Rodrigues, pelo progressista Celso Furtado (na forma de elite aculturada que persegue acriticamente o modo de vida dos países desenvolvidos) e, pasmem, do socialista tardiamente convertido em liberal FHC (na forma da teoria da dependência). Nesta premissa vira lata, pego estas loucas referências atuais de empreendedores e comparo com o Elon Musk e sobra o quê? NADA.

    Melhor seria resgatar o Ozires Silva, fundador da Embraer, para ter algum referencial brasileiro mais potente. Saudade do tempo em que os milionários com excedente de tempo e recursos se expunham midiaticamente doando bibliotecas e terrenos à USP. Hoje tentam desprezar aquela parte da academia que pensa diferentemente deles (ou que simplesmente pensa, em contraste com o senso comum coxa). Saudades José Mindlin, Antonio Ermirio de Moraes…

  • Alguém (o Yassuda?) falou sobre o Cobi, mascote das Olimpíadas de Barcelona. Pois então, em Barcelona existe o Museu Olímpic i de l’Esport. Fica pertinho do Estádio Olímpico em Montjuic, e quando fui lá em 2008 tinha uma lojinha onde vendia uns bonecos e camisetas superfaturados do Cobi.

    Não sei se a lojinha ainda funciona, mas o museu vale a visita. Principalmente para quem tem aquela edição dós Jogos tatuada na memória (adolescência e tardes ouvindo atentamente às explicações do Álvaro José na TV…)

  • Mari

    Meninos, sou muito atrasada nessa vida e comecei a ouvir podcast há pouco tempo, uns 3 meses eu acho. Descobri vocês e estou viciada! Já conhecia o B9 dos tempos que estudava Relações Públicas e acompanhava vorazmente tudo o que diz respeito a comunicação. A vida me levou para outros caminhos e, infelizmente, o B9 deixou de ser leitura diária. Maaaaaas, como boa filha estou aqui de volta feliz e contente (a carreira também volta aos poucos à comunicação o/). Essa introdução foi pra dizer que vocês são ótimos e me divertem muito! Estou ouvindo aos poucos os antigos e adoro a série de diretores <3
    Não sei o nome de todo mundo ainda e não consigo reconhecer as vozes, mas chego lá! hahaha

    Sobre o tema: sempre impliquei com autoajuda, mas acho que até aquelas mais charlatãs, como O Segredo, podem ser capazes de inspirar o leitor a alguma atitude positiva na vida. Mesmo partindo de um contexto muito diferente de 'Donalds Trumps' da vida (céus, que tristeza usar essa criatura como exemplo, mas ele ganhou um milhão, né? Serve.) o fato de alguém que teve sucesso contar a própria história pode inspirar alguém a seguir o exemplo mesmo estando em situação muito pior.

    P.S.: Vocês me apresentaram às meninas lindas do Mamilos. Obrigada infinitamente!
    P.S2.: Atrasada que sou to terminando How I Met Your Mother doida pra ouvir o podcast, mas não quero spoilers… hahaha

    Beijos!

  • Juliana Franchin

    O episódio de vocês me lembrou um artigo do Medium que li recentemente, sobre os artigos que devemos parar de ler e escrever https://medium.com/keep-learning-keep-growing/medium-stories-we-should-all-stop-reading-and-writing-eed4975f4bee#.ke98v9nci

    Só tem um cara que segue essa linha de “autoajuda” profissional que eu admiro e respeito, porque ele é um cara que não cai no lugar comum dos outros: ele “prega” 100% transpiração, que você faz o seu caminho ralando e que não tem essa de emprego dos sonhos. E para te ajudar a botar a mão na massa ele te dá várias dicas práticas, metodologias que ele testou com várias pessoas e, a cada ano que passa, tem mais e mais exemplos de pessoas que usaram as metodologias e se deram bem. Elas explicam o que deu certo e deu errado e podem contar com ele para aparar as arestas e fazer a coisa certa em cada caso específico (claro que é dessa forma que ele ganha dinheiro). Ele é rigoroso, não aceita desculpas e sabe que uma porcentagem muito pequena de quem faz seus cursos e lê seu conteúdo vai seguir até o fim. A grande maioria inventa desculpas para se sabotar e desistir.
    Ele se chama Ramit Sethi. Vale a pena procurar. =)

  • Alan Muro de Berlin

    QUE FELICIDADE ESSE RETORNO!

  • Leo Castro

    Um dos piores episódios que já vi…
    Pauta muito mal feita e a pesquisa em relação aos livros e algumas pessoas citadas foi um trabalho possivelmente feito em 15 segundos antes do episódio.

    Ainda bem que tem o Guga Mafra pra salvar…

  • Senti falta do mapa do programa, não deixem de por o minuto de início da pauta principal, por favor! Abs.