Clicky

Pouco Pixel 56 – Jogabilidade não é tudo, mas é 100%

25.jul.2016

Não basta um rostinho bonito: música, gráficos e historinha são legais, mas o que é jogo tem que ser jogado! Adriano Brandão e Danilo Silvestre definem o que, afinal, é jogabilidade, e explicam por que esse é um aspecto fundamental para se avaliar video games. Existe diferença entre gameplay e mecânica? Jogos difíceis demais, com jogabilidade polêmica, podem ser considerados bons mesmo assim? Onde a jogabilidade se separa do storytelling em adventures e RPGs? O quê o Tite tem a ver com tudo isso?

Download | iTunes | Feed

00:02:37 – Jogabilidade não é tudo, mas é 100%
00:52:38 – Debate de bolso
01:18:22 – Cartinhas

Os famosos links no post

Jogos mencionados: “Super Mario Bros.“, “Mega Man“, “Ninja Gaiden“, “Pac-Man“, “F-Zero“, “FIFA 98“, “River Raid“, “Sonic“, “El Capitán Trueno“, “Leisure Suit Larry“, “GTA“, “Superman“, “Tetris“, “Battletoads“, “The Simpsons: Bart vs. the Space Mutants
As cutscenes do primeiro “Ninja Gaiden”, provavelmente as primeiras animações em estilo cinematográfico a aparecerem em um video game
>
Alexey Pajitnov programou “Tetris” como um jogo baseado em texto para um minicomputador soviético chamado Electronika 60M
Thomas was Alone“, jogo indie em que você cria vínculo emocional com personagens que são meras formas geométricas
Os gráficos chapados-porém-3D de “Fez
O Projeto de Lei da “Escola sem Partido”, para você ler (e dar sua opinião)

Groselhas

O diretor de “Ninja Gaiden” não se chama Japonês, claro, mas Hideo Yoshizawa
Guybrush Threepwood, o protagonista da série “Monkey Island”, tem medo de porcelana (!)

O som do episódio

Super Metroid!

Mande cartinhas!

Aqui nos comentários, no nosso Twitter, no nosso Facebook ou por e-mail, direto no nosso site. Valeu!

Comente