Clicky

Pouco Pixel 83 – Antes do CD / Depois do CD

Aquele que mudou a história

17.abr.2017

No princípio, era o cartucho. Mas um dia veio o CD para a todos governar. Adriano Brandão e Danilo Silvestre contam a história de como meios de armazenamento de dados influenciaram decisivamente a forma dos jogos que tanto amamos. Qual foi o primeiro console a trocar cartuchos por CD-ROM? Por que a indústria nunca quis adotar a mídia magnética e demorou tanto para abraçar a mídia ótica? Seriam o CD e o PlayStation os responsáveis pelo fim da Era Pouco Pixel?

Download | iTunes | AndroidFeed

00:04:55 – Antes do CD / Depois do CD
00:55:44 – High five
01:19:38 – Debate de bolso
01:42:32 – Cartinhas

Seja um mecenas esclarecido!

Contribua com o Pouco Pixel e faça parte de um grupo privilegiado que não somente participa do nosso grupo secreto no Facebook como também assiste às gravações ao vivo do sensacional Tapete Vermelho do Pouco Pixel, com muita interação e papos aleatórios exclusivos! Tudo isso por somente 10 reais por mês – mais barato que suco de shopping.

Os famosos links no post

Eis o estranho disquete do Famicom Disk System: 2.8 x 3 polegadas (é ligeiramente retangular, portanto) e 112 kbytes de capacidade
Dentro do cartucho americano de “The Legend of Zelda” há uma bateria de relógio que dura, oficialmente, 5 anos (mas pode chegar a 15 anos)
Um CD-ROM de “uma velocidade” (1x) consegue ler aproximadamente 150 kbytes por segundo
O inusitado “cartucho pelado” do PC Engine, também conhecido como HuCard
Depois da confusão do add-on, a Sony chegou a anunciar um “Play Station” compatível com jogos de Super Nintendo
Desde 1983, o NES vendeu 62 milhões de unidades; foi ultrapassado somente em 1994 pelo PlayStation, que vendeu 102 milhões de consoles. Hoje o campeão de todos os tempos é o PlayStation 2, com 155 milhões de vendas
Alexander Hamilton (nota de 10 dólares) é um dos três autores apócrifos dos Federalists Papers, uma série de artigos publicados em jornais na época da promulgação da Constituição americana
Em pleno 2017, nosso ouvinte (e mecenas esclarecido) Preto Murara ainda desenha fases de “Duke Nukem 3D”!

Groselhas

Os jogos do Nintendinho não eram tão grandes assim – no máximo, 1 megabyte. A confusão está no fato das embalagens anunciarem tamanhos em megabits. Cada megabyte tem 8 megabits. Em um cartucho de 4 megabits, muito comum nos últimos anos do NES, cabem, na verdade, 500 kbytes
O Super Nintendo tinha uma “expansion port” embaixo, é certo, mas uma arte conceitual mostra um cartucho ligado ao drive por um cabo. Certamente a porta era muito lenta para servir de interface para CD-ROM

No nosso site

Não deixe de consultar a lista completa dos Debates de Bolso e dos High Five no site do Pouco Pixel!

O som do episódio

“Crash Team Racing”!

Mande cartinhas!

Aqui nos comentários, no nosso Twitter, no nosso Facebook ou por e-mail, direto no nosso site. Valeu!

Comente