Clicky

Disney quer monitorar as suas expressões faciais no cinema

Disney quer monitorar as suas expressões faciais no cinema

Empresa quer entender como as pessoas reagem aos filmes, garantindo o máximo de satisfação em produções futuras

por Carlos Merigo

Em um novo experimento da setor de pesquisas da Disney, a empresa criou uma rede neural que pretende entender como as pessoas reagem aos filmes.

A ideia, assim como já faz a indústria alimentícia, é buscar o ponto máximo de satisfação sensorial dos consumidores. Com dados como a quantidade e o momento em que as pessoas riem e choram no cinema, a Disney poderia aperfeiçoar suas produções para garantir que elas sempre queiram mais.

A pesquisa foi realizada em cerca de 150 exibições de filmes da empresa, como “Mogli” e “Star Wars: O Despertar da Força”, somando 3179 espectadores.

Claro, sessões teste são feitas há décadas por Hollywood. Muitos filmes voltam pra sala de edição ou, até mesmo, tem cenas refilmadas para corresponder ao feedback de quem assistiu antes que a obra seja lançada de fato nos cinemas.

Porém, aqui estamos falando de uma escala granular, onde a Disney – nesses primeiros experimentos – produziu 16 milhões de pontos de dados para serem estudados. “É muito mais informação do que um ser humano pode dar sobre o que está assistindo. Os computadores entram para resumir esses sem perder detalhes importantes”, disse Peter Carr, pesquisador da Disney Research.

Essa inteligência artificial tem potencial para mudar a maneira como os blockbusters são feitos. Os estúdios já trabalham com criatividade hermeticamente confinada ao que o grande público gosta, mas isso não impede que apareçam diversos fracassos aqui e ali. Através de tamanha quantidade de dados, a garantia de sucesso poderia ser ainda maior.

Compartilhe: