“Boy Erased” tem estreia nos cinemas cancelada no Brasil (mas não por censura)

Embora o autor do livro no qual a produção se baseia alegue que a produção teve o lançamento cancelado por suposta censura do atual governo, filme não chegará aos cinemas por razões puramente comerciais

por Pedro Strazza

Na última quinta-feira (31), a Universal Pictures Brasil divulgou por meio de uma resposta a um usuário do Twitter que “Boy Erased: Uma Verdade Anulada” teve o lançamento cancelado no Brasil. Adaptação do livro de memórias de Garrard Conley, a produção há alguns meses teve sua estreia no circuito brasileiro marcada inicialmente para o dia 31 de janeiro.

Teria sido mais uma vítima tradicional do calendário de estreias brasileiro se na tarde de ontem, dia 2 de fevereiro, o co-fundador da Born Perfect, Mathew Shurka, não tivesse compartilhado a resposta do estúdio afirmando que o cancelamento do lançamento havia se dado por conta de uma suposta censura da atual administração federal do país sobre o longa. “Nossos advogados locais estão reportando censura pelo governo brasileiro”. A Born Perfect, no caso, é uma entidade formada por advogados e sobreviventes de casos do tipo que busca encerrar de vez a ideia absurda de que exista (e há necessidade de) uma “cura gay”.

A acusação se dá, em parte, porque o filme trata da história real de um garoto que, por conta dos pais religiosos, foi obrigado a passar por um processo de “cura gay” numa Igreja dedicada à prática nefasta. Porque o longa trata do tema de forma condenatória, o projeto em teoria vai contra algumas das crenças de parte do corpo do atual governo dirigido pelo presidente Jair Bolsonaro.

Por ser o Twitter, a acusação não demorou muito para chegar ao próprio Conley, que compartilho a informação de Shurka no Twitter e no Instagram condenando o ato de censura e lamentando que “este tipo de coisa esteja acontecendo em um país tão maravilhoso”. A divulgação da informação, claro, gerou todo tipo de revolta em uma boa parcela de usuários das redes sociais.

A questão, porém, é que a informação compartilhada por Shurka é falsa. Embora “Boy Erased” tenha sim tido o lançamento cancelado no Brasil, as razões do abandono da estratégia por parte do estúdio não envolvem qualquer tipo de intervenção federal e sim… o mercado.

De acordo com a assessoria da Universal Pictures Brasil ao B9, o longa não será lançado nos cinemas por razões “única e exclusivamente” comerciais. O estúdio desistiu de colocar o projeto nas telonas do país após o escritório regional da empresa calcular que o custo de campanha não compensava o provável desempenho da obra nas bilheterias. “Boy Erased”, aliás, não foi o único filme que a Universal decidiu abandonar: “Bem Vindo à Marwen”, o novo trabalho de Robert Zemeckis e estrelado por Steve Carell, também não vai estrear no circuito brasileiro.

Esta prática, vale apontar, não é exclusiva da Universal neste momento. O começo de ano é tradicionalmente uma época em que as distribuidoras estão continuamente reajustando e preparando o novo ciclo do calendário, e conforme determinados projetos mostram-se prováveis fracassos de bilheteria é comum os filmes serem retirados do planejamento. Recentemente, a 20th Century Fox Brasil alegou motivos similares ao da Universal para não distribuir “Maus Momentos no Hotel Royale” nos cinemas do país, destinando-o direto ao mercado de home video e streaming.

No caso de “Boy Erased” e “Marwen”, a provável causa do cancelamento gira em torno do fraco desempenho dos dois filmes no circuito de cinemas estadunidense e o fato de ambos os projetos terem passado batido pelas votações das temporadas de premiações. Segundo o Box Office Mojo, Enquanto a obra de Zemeckis quase não passou dos 10 milhões de dólares de bilheteria com um orçamento de 39 milhões, “Boy Erased” alcançou pífios 6 milhões.

Além disso, a própria acusação de “censura governamental” feita por Shurka não procede se considerar o número volumoso de produções com temática LGBTQ+ que vem passando pelo circuito. Enquanto atualmente “A Favorita” está em cartaz nos cinemas, o longa “Poderia Me Perdoar?” chega ao circuito ainda este mês, enquanto a Pandora Filmes pretende lançar em abril o filme vencedor do Festival de Sundance em 2018 “O Mau Exemplo de Cameron Post” que também trata do mesmo tema de “Boy Erased”.

Apesar disso, a equipe de reportagem do B9 já entrou em contato com as assessorias responsáveis por estes outros filmes, que até o momento da publicação desta matéria não respondera. Conforme respostas forem sendo emitidas atualizaremos o post.

[ATUALIZAÇÃO: 03/02, 15h] A Pandora Filmes respondeu à reportagem afirmando que “O Mau Exemplo de Cameron Post” segue com estreia marcada para abril. [FIM DE ATUALIZAÇÃO]

Segundo a assessoria da Universal Pictures Brasil, o estúdio já tem planos para lançar “Boy Erased: Uma Verdade Anulada” em home video em algum momento do próximo trimestre. “Bem Vindo à Marwen”, enquanto isso, ainda não teve tal destino assegurado.

Compartilhe: