Moeda nacional do Japão, iene ganhará novo design

Primeira alteração na moeda desde 2004, cédulas passarão a contar com novos homenageados e maiores medidas de segurança para evitar a disseminação de notas falsas

por Pedro Strazza

O governo do Japão divulgou nesta terça o novo design de sua moeda nacional, o iene. As alterações acontecerão tanto para as moedas físicas quanto para as notas, mas as últimas contarão com as mudanças mais drásticas e que incluem até alterações das personalidades homenageadas em suas cédulas.

Entre as mudanças gerais anunciadas pelo ministro da economia japonês Taro Aso, as notas japonesas passarão a contar com numerais maiores para facilitar a legibilidade, marcas d’água mais complexas, hologramas 3D (a primeira vez na história de qualquer país) e novas formas de segurança para evitar a fabricação e distribuição de cédulas falsas.

No caso da moeda de 500 ienes (que equivale hoje a R$17,35), as grandes mudanças acontecem na questão de cor, que deixará de ser inteiramente prateada para ganhar uma faixa dourada em seu entorno.

Versão atual da moeda de 500 ienes
Nova versão da moeda de 500 ienes

Já nas notas as alterações são mais visíveis. A cédula de 1000 ienes (R$34,70), por exemplo, substituirá a imagem do bacteriologista Hideyo Noguchi e do Monte Fuji para estrelar o também bacteriologista Shibasaburo Kitazato e a celebrada pintura “A Grande Onde de Kanagawa” de Katsushika Hokusai.

A de cinco mil ienes (R$173,48), por outro lado, será estampado pelo rosto da educadora Umeko Tsuda, pioneira da área que ajudou a sedimentar o ensino para o público feminino no país no século 20, e algumas flores do gênero Wisteria. Umeko substitui o escritor Ichiyo Higuchi – pseudônimo de Natsu Higuchi – na cédula.

Por último, a nota de dez mil ienes (R$346,96) deixará de exibir o rosto do escritor Yukichi Fukuzawa para mostrar a imagem de Eiichi Shibusawa, apelidado de “pai” do capitalismo japonês por ter revolucionado as práticas financeiras no país na virada do século 19 pro 20. Ele será acompanhado pela visão da Estação de Tóquio, parada de trem turística da capital.

Esta é a primeira alteração ocorrida com o iene desde 2004, sendo que os novos formatos devem se tornar vigentes no mercado nacional até o ano de 2024.

Compartilhe: