Cinzas podem ser usadas para refazer gárgulas de Notre-Dame em 3D

Empresa holandesa afirma ter tecnologia e modelos de base para criar novas estátuas

por Matheus Fiore

O incêndio na catedral de Notre-Dame destruiu muitas construções que resistiram ao tempo por quase um milênio inteiro. Entre as muitas partes consumidas pelas chamas, estão algumas gárgulas que eram figuras conhecidas da catedral: marcas tanto da religiosidade do período – as estátuas eram guardiões “espirituais” da catedral – quanto de sua arquitetura, os gárgulas eram verdadeiros personagens da história de Notre-Dame.

Agora, uma empresa holandesa chamada Concr3de diz que pode utilizar as ruínas das estátuas e até suas cinzas para imprimir réplicas perfeitas dos gárgulas em 3D. A Concr3De se especializou em impressão 3D para construção, e afirma que poderia imprimir versões idênticas utilizando como referência não só os restos das estátuas destruídas, mas modelos digitais feitos em 2000.

Um dos cofundadores da empresa, Eric Geboers, afirmou em entrevista que ele acredita que o método de reconstrução da empresa poderia reconciliar alguns dos empecilhos filosóficos de reconstruções: ele afirma que fazer uma cópia com o mesmo material seria simplesmente uma falsificação, enquanto a impressão 3D seria uma homenagem histórica.

O governo francês, por sua vez, possui planos bem diferentes e, digamos, menos modernos, para a reconstrução dos gárgulas. A ideia é contratar escultores e artesãos para fazer reproduções idênticas com as mesmas técnicas e materiais utilizados na construção original. Como aponta o Fast Company, essa escolha custará muito mais dinheiro do que custaria o método da Concr3De.

Compartilhe: