Amazon anuncia seu novo streaming de música em alta qualidade, o Amazon Music HD

Não há previsão para chegada ao Brasil; serviço já está disponível nos Estados Unidos, no Reino Unido, no Japão e na Alemanha

por Matheus Fiore

A Amazon tem um novo streaming de música cujo principal atrativo é a alta qualidade do som. Pelo valor de U$ 12,99 para assinantes do Prime (e U$ 14,99 para o restante do público), os americanos, alemães, britânicos e japoneses podem, agora, assinar o Amazon Music HD.

Para os que já são assinantes do Amazon Music, a assinatura custará um adicional de cinco dólares mensais, independente de seu plano ser individual ou família.

A diferença entre os dois serviços é que, no HD, o assinante terá acesso a mais de 50 milhões de faixas que terão qualidade superior. De acordo com a empresa, o som do Amazon Music HD será melhor que o de todos os concorrentes do streaming. Há alguns anos, o Tidal também foi lançado prometendo uma qualidade de som inovadora para o streaming de música, mas a promessa da Amazon é que seu novo projeto superará qualquer concorrente.

No Brasil, por enquanto, só está disponível o Amazon Music original, que oferece bilhões de faixas para concorrer com gigantes como Spotify e Deezer. O Spotify oferece, por ora, preços mais baratos que os do Music HD. Hoje, nos Estados Unidos, o plano simples custa dez dólares, e o familiar, quinze. Já o Tidal, que seria, na teoria, o concorrente direto por também ter a qualidade de som como principal atrativo – com o Tidal Hi-Fi Plan – custa U$ 19,99 mensais.

Nos Estados Unidos, o Music HD já está disponível, mas no Brasil, ainda não há previsão. Além de estar no ar nos Estados Unidos, o novo streaming também foi lançado no Reino Unido, na Alemanha e no Japão, e não há qualquer previsão de disponibilidade em outros países.

Assim como acontece com o streaming de séries e filmes, o mercado dos serviços de música têm ganhado novos concorrentes e intensificado a disputa. Vale destacar, porém, que, pelo menos até o momento, não há tanto conteúdo exclusivo de uma empresa ou outra, como acontece com Netflix, Amazon Prime Video e os vindouros Disney+ e Peacock. No passado, o Tidal obteve exclusividade de lançamentos importantes, como o “Lemonade”, da Beyoncé, mas aos poucos as obras foram chegando aos outros serviços.

Por enquanto, as exclusividades de cada streaming de música se resumem, no geral, a conteúdos adicionais, como versões acústicas, alternativas e ao vivo de faixas e álbuns que estão em quase todas as plataformas.

Compartilhe: