Arqueólogos encontram jogo de tabuleiro de 1700 anos

Acredita-se que jogo foi inspirado no romano Latrúnculo e que é a base para o Hnefatafl, o "xadrez viking"

por Matheus Fiore

Jogos de tabuleiro são um passatempo presente na civilização atravessando diferentes momentos da história. Com o tempo, eles se adaptam às novas demandas de entretenimento da sociedade, e se tornam mais modernos, dinâmicos e variados, a fim de atingir todos os públicos. Um grupo de arqueólogos fez uma descoberta interessante para se observar como a prática atravessa diferentes gerações.

Profissionais da University Museum of Bergen escavaram um sítio arqueológico na Noruega em abril, e encontraram, entre recipientes e vidros que estavam guardados há quase dois milênios, os restos de um jogo de tabuleiro que não era tocado há no mínimo 1700 anos.

Segundo o Kotaku, no total, foram encontradas 18 peças e um dado bastante diferente do cubo de seis lados que temos hoje em dia. O dado mais se parece com uma haste fina e longa. Não se sabe, porém, como funcionava o jogo, nem qual a inserção cultural dele no povo que ali vivia há dois mil anos.

O jogo foi encontrado em um túmulo, datado do início da Idade do Ferro em Ytre Fosse, no oeste da Noruega. Acredita-se que ele foi inspirado pelo jogo romano Latrúnculo, e que ele é o antecessor de um historicamente popular jogo viking chamado Hnefatafl – que muito se assemelha ao xadrez.

Compartilhe: