Botão no app Magalu faz ligação direta com chat para denúncia do Ministério da Mulher

Agora, além de dar acesso ao Ligue 180, o botão oferece acesso direto - via chat - ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos

por Soraia Alves

O Magalu lançou uma nova versão do seu botão para denúncia de casos de violência contra a mulher. Agora, além de dar acesso ao Ligue 180, o botão oferece acesso direto – via chat – ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, onde é possível realizar a denúncia online.

O design da página de denúncia também foi alterado, garantindo a discrição da denúncia feita por mulheres. “O botão de denúncia do Magalu ajuda a disseminar informação sobre um serviço público essencial que é uma grande conquista para as mulheres, o Ligue 180”, diz Ana Luiza Herzog, gerente de reputação e sustentabilidade da empresa. “Nosso objetivo, com essa nova versão, é fortalecer a divulgação dos canais de apoio existentes e aumentar a eficiência da ferramenta e a segurança das mulheres que querem denunciar seus agressores“, explica.

Para redesenhar a funcionalidade, profissionais das áreas de tecnologia, sustentabilidade e marketing do Magalu colheram opiniões de um conselho curador formado pela promotora de justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo Silvia Chakian, Jacira Melo, do Instituto Patrícia Galvão, e Elizabete Leite Scheibmayr e Marisa Cesar, do grupo Mulheres do Brasil. O Magalu também ouviu outros especialistas, além de sugestões de seguidores enviadas por meio das redes sociais da companhia na internet.

“O aumento alarmante dos casos de violência contra a mulher fizeram com que decidíssemos divulgar o botão mesmo antes que a nova versão estivesse concluída”, afirma Ana Luiza. “Como uma empresa digital, o Magalu sabe que o importante é fazer rápido, e implementar melhorias constantes por meio das sugestões dos usuários e da comunidade envolvida com o tema.”

Na última semana, a Lu, influenciadora virtual do Magalu, usou suas redes sociais para chamar atenção para o aumento dos casos de violência contra a mulher e estimular o uso da funcionalidade para denunciar os agressores. A postagem teve mais de 750 mil compartilhamentos no perfil do Instagram da companhia. Dos 3,3 milhões de seguidores na rede social, 80% são mulheres.

O ativismo do Magalu em relação ao combate à violência contra a mulher começou em meados de 2017. Foi quando o feminicídio de uma gerente de loja da companhia motivou Luiza Helena Trajano, presidente do conselho de administração do Magalu, a criar o Canal da Mulher, um serviço interno para apoiar as colaboradoras vítimas de violência. Desde o seu lançamento, o Canal da Mulher já apoiou 396 mulheres.

Na maioria das denúncias, o trabalho da equipe de profissionais consiste em ouvir as colaboradoras vítimas de violência e apoiá-las a fazer uso da rede pública especializada no atendimento à mulher. Nos casos mais críticos, no entanto, o Magalu oferece assistência jurídica e auxílio financeiro para que a colaboradora mude de cidade ou estado.

Em 2018, empresa lançou a campanha #EuMetoaColherSim, que faz alusão ao ditado popular “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”. Em março de 2019, foi criado o botão de denúncia instalado no app. Desde o início da pandemia de Covid-19, os acessos ao botão no app do Magalu, que direciona para o Ligue 180, cresceram 400%.

A violência doméstica contra a mulher cresceu com o isolamento social imposto pela pandemia. Segundo dados do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, nos meses de março e abril, as denúncias cresceram cerca de 18% e 38%, respectivamente, na comparação com os mesmos meses do ano passado. São números que reforçam a importância de disseminar, ainda mais nesse momento, informações sobre os canais oficiais que oferecem apoio às vítimas.

Compartilhe: