Diretor de “Os Garotos Perdidos” e “Batman Eternamente”, Joel Schumacher falece aos 80 anos

Bastante conhecido do público ainda por filmes como "Oito Milímetros", "Linha Mortal" e "Batman & Robin", cineasta enfrentava câncer há um ano

por Pedro Strazza

O diretor Joel Schumacher morreu nesta segunda-feira, 22 de junho, aos 80 anos de idade. De acordo com a Variety, o cineasta faleceu em Nova York depois de lutar por um ano contra um câncer.

Schumacher é bastante conhecido do público por “Batman Eternamente” e “Batman & Robin”, filmes que ajudaram a sepultar momentaneamente a popularidade do personagem nos anos 90 e abriram caminho para a abordagem “sombria e realista” de Christopher Nolan nos anos 2000 ao optar por uma abordagem lúdica, colorida e com forte referência no seriado do super-herói nos anos 60. Outros projetos que marcaram muito a trajetória do diretor foram “Os Garotos Perdidos” e “Linha Mortal”, suspenses da década de 80 que chegaram a ganhar continuações e remakes após grande sucesso no lançamento.

A carreira de Schumacher é mais extensa e bem mais profunda dentro de Hollywood, começando por um início de carreira no departamento de figurinos e que incluiu projetos como “Interiores”, “Amantes em Veneza” e “O Dorminhoco”. Formado na escola de moda e design da Parsons, Schumacher ainda assinaria roteiros de produções como “O Mágico Inesquecível” e “Car Wash” antes de ver sua trajetória na direção começar a levantar voo no começo dos anos 80 com “A Incrível Mulher que Encolheu” e “Taxi Especial”.

Foi “O Primeiro Ano do Resto de Nossas Vidas” e sobretudo “Os Garotos Perdidos” que fizeram o nome do diretor em Hollywood e sobretudo entre o público, consolidando uma imagem que o levaria a emendar sucessos de bilheteria como o próprio “Linha Mortal”, “Tudo Por Amor” e “O Cliente”. Foi esta sequência que ajudou Schumacher a ser escolhido pela Warner Bros. e o então responsável pela franquia Tim Burton para assumir os filmes do Batman, uma decisão que se a princípio foi feita para continuar o leme da série na direção pretendida por Burton acabou desovando em todo o desastre comercial de “Batman & Robin” – até hoje visto pela opinião pública como o “pior filme” e alvo de piadas como o batcartão de crédito e os mamilos na armadura.

A carreira de Schumacher a partir disso ficaria marcada pela sombra de sua segunda incursão no universo do homem-morcego, mas ele ainda dirigiu produções bastante conhecidas do grande público como “8mm: Oito Milímetros”, “Em Má Companhia”, a infame adaptação de “O Fantasma da Ópera” e o “Número 23” que marcou a fuga de Jim Carrey das comédias. Depois do fracasso comercial de “Reféns” em 2011, o cineasta marcou sua despedida do audiovisual em 2013 e na série “House of Cards”, no qual foi responsável pelo 5° e 6° episódios da primeira temporada.

Além de toda a obra, Schumacher foi nos anos 80 e 90 um dos poucos diretores abertamente gay de Hollywood, uma posição cuja existência por si só foi importante para a manutenção de valores progressistas na indústria.

Compartilhe: