Campanha do Kickstarter quer produzir perfume com cheiro do espaço sideral aprovado pela NASA

Eau de Space é fruto de pesquisa patrocinada em 2008 pela agência espacial para ajudar no treinamento dos astronautas

por Pedro Strazza
Preço: US$ 15
Produto: Eau de Space

Se seu sonho de consumo sempre foi sentir o cheiro do espaço, agora há quem esteja interessado em fabricar uma fragrância que atende exatamente esta demanda. Por incrível que pareça, o “perfume espacial” é tema de uma nova campanha do Kickstarter lançada com o nome Eau de Space e que tem inspiração no que é um estudo criado pela NASA para tentar reproduzir o aroma sentido no vácuo espacial.

Tocada por Matthew Richmond, a campanha de financiamento escreve na descrição da página que a criação vem de um experimento conduzido em 2008 pelo químico Steven Pearce, que foi contratado pela agência espacial estadunidense para justamente recriar como uma fragrância o cheiro sentido por todos os astronautas que se aventuraram fora da órbita terrestre. O resultado final já é utilizado há algum tempo pela NASA para o treinamento dos cadetes com o nome “Smell of Space” (“cheiro do espaço”, no português mais grosso), mas só agora foi disponibilizado ao público através da Lei da Liberdade de Informação do país.

Enquanto o Eau de Space é declarado como o primeiro item de uma série de iniciativas para trazer vivências da área da ciência para as escolas (e inclusive prevê a distribuição de unidades em unidades públicas no país), o “cheiro do espaço” é descrito por Richmond como uma mistura dos cheiros da pólvora, bife queimado, framboesa e rum.

A campanha já passou tranquilamente pela meta “tudo ou nada” de US$ 1,9 mil, no momento de publicação desta nota chegando a US$ 264 mil em número de contribuições, mas continua ainda pelos próximos 44 dias. As recompensas começam a vir a partir de 15 dólares e contam além de doações às escolas com a garantia de até 10 unidades do perfume – apesar que os realizadores declaram que os interessados podem adquirir mais fazendo a matemática por trás.

Os interessados podem saber mais sobre a campanha aqui.

Compartilhe: