cover-netflix11

Netflix vai desligar fatura automática de contas inativas há mais de dois anos

Decisão foi tomada para manter as boas relações com o consumidor, mesmo quando este não estiver mais interessado em assinar o serviço

por Pedro Strazza

Em meio à enchente de dados e informações divulgados durante o último relatório trimestral, a Netflix anunciou aos acionistas um novo processo de automatização que vai dar cargo de congelar contas que estejam inativas há pelo menos dois anos. Embora a companhia relate haver um impacto no número de assinantes com a ação, a medida é tomada pensando no longo prazo e – em especial – a manutenção da relação com os clientes.

“Nós acreditamos que políticas pró-consumidor como esta sejam a coisa certa a se fazer e que os benefícios a longo prazo vão superar os custos iniciais.” escreve a companhia na carta aos investidores; “Em um mundo onde consumidores possuem muitas assinaturas, a paralisação automática da cobrança depois de um período extenso de não utilização é como líderes de mercado devem operar”.

A empresa ainda nota no documento que a medida acontece apenas para “um percentual minúsculo de nossos membros” e que só acontece para contas que não tiverem sido sequer acessadas por 24 meses, mesmo que seja “muito fácil para as pessoas cancelarem suas assinaturas com apenas alguns cliques”. Como bem denota o Deadline, a estratégia parece ser mesmo de manter o cliente feliz em todos os momentos, mesmo numa situação tão contraditória quanto a de cancelar o serviço: na reunião online com os investidores, o co-CEO Reed Hastings chegou a comentar a decisão declarando que este público “irá retornar” e que é tudo uma questão de tempo “conforme o serviço fica melhor”. “Nós amamos que as pessoas tenham um gostinho da Netflix. Nós esperamos que elas fiquem pelos próximos 50 anos” disse ainda o executivo.

Não é como se a Netflix não estivesse numa posição ruim no momento. Com quase 193 milhões de assinantes, inúmeros hits na mão e a expectativa de um segundo semestre tão bom quanto o primeiro, é difícil imaginar no momento que a perda temporária de alguns usuários faça mal à companhia.

Compartilhe: