hogwarts-legacy

Warner Bros. confirma que J.K. Rowling não está envolvida no novo game de “Harry Potter”

Autora não escreveu qualquer parte da história de "Hogwarts Legacy", mas certamente vai lucrar em cima do jogo

por Pedro Strazza

Em meio a toda a algazarra da apresentação do PlayStation 5 na última quarta (16), um dos trailers que mais chamou a atenção do público no evento – que foi recheado de prévias, vale acrescentar – foi o de “Hogwarts Legacy”, jogo que marca o retorno da franquia “Harry Potter” ao mundo dos games. O burburinho foi menos pela reentrada do universo do bruxinho no mercado que pela figura de J.K. Rowling, porém, conforme a autora da série atualmente enfrenta todo tipo de criticismo por suas posições sobre o público transexual.

É justo a polêmica em torno da escritora que agora leva a Warner Bros. a declarar em público que Rowling não está envolvida em qualquer nível criativo do jogo, desenvolvido pelo estúdio Avalanche Software. Na página oficial de perguntas frequentes do game, a empresa criou uma categoria intitulada “Qual o envolvimento de J.K. Rowling no jogo? Esta é uma nova história de J.K. Rowling” e responde o tema da seguinte forma:

J.K. Rowling não está envolvida diretamente na criação do jogo, mas seu extraordinário corpo de escrita é a fundação para todos os projetos no Wizarding World. Esta não é uma nova história de J.K. Rowling.

Warner Bros. Games

A declaração não significa de maneira alguma que J.K. Rowling não vá fazer algum dinheiro em cima da produção – afinal, o projeto é de posse do Wizarding World, que é a marca criada pela WarnerMedia para gerir todos os projetos baseados em cima dos livros escritos por ela, o que por consequência significa que ela vai ser paga em royalties pelo desenvolvimento do jogo. O ponto aqui é mesmo o esforço do estúdio para desvincular a imagem da criação de seu criador, tendo em vista a manutenção da ampla e ávida base de fãs que “Harry Potter” carrega já há quase 20 anos.

Isso não acontece à toa. Para além dos comentários feitos em sua conta no Twitterque ativamente buscam discernir o público trans do movimento feminista – Rowling esta semana lançou um novo livro que atraiu uma nova onda de críticas em torno da perpetuação de estereótipos sobre transexualidade. Intitulado “Troubled Blood”, a publicação acompanha um caso do desaparecimento de um médico que foi vítima de um “assassino cross-dresser” e sua investigação por um detetive de nome Robert Galbraith – nome que é idêntico ao de um famoso psiquiatra estadunidense que era favor da “cura gay”.

A ausência da participação de Rowling em “Hogwarts Legacy” também é outro sinal de um processo de diminuição da atuação criativa da escritora na gerência da marca “Harry Potter” e dos projetos tocados pelo Wizarding World, que acontece desde o desempenho abaixo do esperado de “Os Crimes de Grindewald” na bilheteria. Não à toa, ela vai dividir os créditos de roteiro com Steve Kloves (responsável pela escrita da série principal) no próximo “Animais Fantásticos”, depois de ser autora única do texto dos dois primeiros capítulos.

“Hogwarts Legacy”, enquanto isso, está previsto para chegar às lojas em algum começo de 2021.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link