robinhokicaldo

Nos passos da Orthopride, Kicaldo ameaça romper contrato de patrocínio com o Santos por conta de Robinho

Clube periga perder mais um patrocinador por culpa da contratação do jogador, condenado em 2017 por crime de estupro na corte italiana

por Pedro Strazza

[Atualizado às 16h com pronunciamento da Philco]

Demorou dois dias, mas mais patrocinadores do Santos começam a seguir o movimento da Orthopride na esteira da contratação do jogador Robinho. Dona do patrocínio da manga do clube, a Kicaldo anunciou nesta sexta (16) que vai desligar o contrato com o time caso este mantenha a contratação do atleta, condenado por crime de estupro na corte italiana.

“Comunicamos ao Santos F.C. que, caso o clube não rescinda o contrato com o jogador em questão, retiraremos nosso patrocínio.” escreve a marca em suas redes sociais; “A Kicaldo repudia todo tipo de violência, e por isso vamos seguir agindo sempre de acordo com nossos valores.”.

A empresa já havia declarado mais cedo que estava cobrando um posicionamento afirmativo do clube sobre o desligamento de Robinho do time. Um porta-voz chegou a dizer ao UOL que a Kicaldo estava “aguardando a posição do clube” e confirmava um ultimato: “Se eles rescindirem, a gente mantém a parceria. Se não, a gente não vai mais patrocinar a equipe” escreveu na ocasião.

[ATUALIZAÇÃO: 16h] Menos de uma hora após o pronunciamento da Kicaldo, a Philco também se posicionou contra a contratação do jogador em suas redes sociais. A marca escreve que encaminhou uma nota à diretoria do clube e diz repudiar a entrada do jogador no elenco, e termina fazendo o mesmo ultimato que a Kicaldo.

“Sempre mantivemos forte parceria com o time e seus torcedores, porém neste momento exigimos a rescisão imediata com o atleta.” diz a empresa; “Caso contrário, a Philco irá revogar o contrato, pois a situação não compactua com os valores da marca. NENHUM ATO DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER DEVE SER TOLERADO.”.

[FIM DA ATUALIZAÇÃO]

O caso

A ameaça da fornecedora de sementes acontece na mesma data em que novos detalhes sobre a sentença judicial dada ao jogador vieram a público. Trechos obtidos pelo Globo Esporte mostram que Robinho teria sido condenado em 2017 depois que gravações de ligações telefônicas revelaram que ele mentiu sobre sua participação no estupro da vítima, além da condição desta na hora do crime – ele teria negado ambas as acusações no tribunal, em 2014.

A condenação dada pela corte de Milão a Robinho é de “violência sexual em grupo”, com base no artigo 609 bis do código penal e que diz respeito à participação de duas ou mais pessoas reunidas para um ato de violência sexual. Embora a pena dada seja de nove anos de prisão, o jogador não apenas tem duas instâncias para recorrer judicialmente como não poderá ser extraditado para a Itália caso a decisão seja definitiva.

Além da Kicaldo, a Orthopride já havia confirmado na quarta (14) o rompimento do contrato alegando “respeito às mulheres que consomem nossos produtos” e que a contratação de Robinho ia contra os valores da marca. A chegada do jogador do clube também desperta todo tipo de reação negativa nas redes sociais, e treze coletivos de torcedoras enviaram uma notícia de infração disciplinar ao STJD pedindo a anulação do registro do contrato.

Sem Orthopride e com a Kicaldo propensa a abandonar o barco, o Santos agora pode contar com apenas nove patrocinadores oficiais de seu time, com pelo menos quatro – a Umbro Brasil, a Tekbond, a Casa de Apostas e a Philco – se posicionando publicamente contra a contratação.

Compartilhe: