Europa criou mais energia renovável do que combustíveis fósseis em 2020

Europa criou mais energia renovável do que combustíveis fósseis em 2020

Continente ainda pretende triplicar sua produção de energia limpa até o fim da década

por Matheus Fiore

Há anos a Europa tem se esforçado para substituir seus meios de produção e armazenamento de energia a fim de preservar o meio ambiente. Agora, um relatório aponta que, em 2020, o continente produziu mais energia de fontes renováveis do que combustíveis fósseis. É a primeira vez na história que isso acontece, de acordo com o time de pesquisas do Ember and Agora Energiewende.

Energias provenientes do vento, do Sol, da água e de biomassa representaram 38% das fontes energéticas da Europa em 2020. A título de comparação, no ano anterior, o número foi de 34,6%. A marca é histórica porque, em 2020, os combustíveis fósseis representaram apenas 37%, ficando pela primeira vez atrás das fontes limpas.

Os dois principais fatores para a marca histórica são os crescimentos das energia solar e do eólica, que cresceram 15 e 9% respectivamente. Os países que mais impulsionaram esse crescimento foram Bélgica, Holanda e Suécia. Apesar de históricos, os números ainda são insuficientes. A Ember and Agora Energiewende afirma que a Europa ainda precisa triplicar sua produção de energia solar e eólica até 2030. “A recuperação econômica da pandemia não pode desacelerar a proteção do meio ambiente”, afirmou Patrick Graichen, diretor da Agora Energiewende em uma declaração para a imprensa.

Paralelamente, o recém-empossado presidente americano Joe Biden também tem se comprometido a dar a devida importância para as questões climáticas. A tendência é que os Estados Unidos retornem ao Acordo de Paris e, com isso, os dois principais polos econômicos e culturais do ocidente – Estados Unidos e Europa –, estarão alinhados na importante causa.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link