merlin_155789484_7cd196e0-a18d-42ef-bb0b-9f527b2a7f19-mobileMasterAt3x
Imagem: Emilio Naranjo/EPA, via Shutterstock

Amazon não vai participar de eventual licitação da transmissão da Superliga

Gigante americana já é parceira da Premier League e da Champions League, e admite que participação em disputa resultaria em conflito de interesses

por Matheus Fiore

A Superliga Europeia tem gerado muitas discussões pelo mundo do esporte e do entretenimento. Após as principais federações europeias (incluindo a UEFA) e dezenas de clubes, ídolos e atletas se mostrarem contrários à ideia de uma Superliga nos moldes da NBA ou da NFL, chegou a vez de a Amazon se posicionar no assunto.

A gigante do varejo e do streaming informou via comunicado oficial que caso haja uma licitação pelos direitos de transmissão da competição, que terá gigantes do futebol inglês, espanhol e italiano, ela não participará. A Amazon já é parceira de transmissão da Champions League na Alemanha e na Itália, além de exibir a Premier League na Inglaterra. A ideia da Amazon é respeitar os acordos vigentes e não participar do projeto.

“O Amazon Prime Video ouve e compartilha as preocupações dos fãs de futebol em relação à anunciada Super League. Acreditamos que parte da teatralidade e beleza do futebol vem da capacidade de qualquer clube vencer por meio de seu desempenho em campo. Não fomos convidados para discussões sobre este projeto de torneio. Temos o orgulho de oferecer aos nossos clientes o futebol que tanto significa para eles e de apresentar estas ações da forma mais inovadora, nomeadamente a UEFA Champions League na Alemanha e Itália, e a Premier League no Reino Unido”, destacou o comunicado.

A Superliga é composta por ArsenalChelseaLiverpoolManchester City, Manchester United e Tottenham, da Inglaterra, Inter, Juventus e Milan, da Itália, e Atlético de Madrid, Barcelona e Real Madrid, da Espanha. Além dos 12, a competição teria mais outras oito equipes, totalizando 20 times.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link