E1ljfiVXMAMJ7Xp
Imagem: Reprodução

Três anos depois de ser comprada pela AT&T, WarnerMedia é vendida para o Discovery por US$ 43 bilhões

Enquanto AT&T põe fim a sua aventura pelo entretenimento, novo empreendimento vai manter CEO do Discovery como liderança maior

por Pedro Strazza

Não faz três anos que a Warner Bros. e a AT&T concluíram um processo de fusão e formaram um novo conglomerado de mídia e conteúdo chamado WarnerMedia, mas a última já está pedindo as fichas para fora do mercado de entretenimento. Depois da Bloomberg reportar no domingo (16), a AT&T anunciou nesta segunda (17) a venda da WarnerMedia e de todas as suas marcas para o Discovery, num novo acordo de US$ 43 bilhões que deve submeter a companhia por trás de estúdios como a Warner, a HBO e a TNT por uma nova fusão corporativa. Um nome oficial ainda não foi definido.

Embora o negócio seja descrito oficialmente pela AT&T como uma combinação de operações para a formação de um “novo líder global de entretenimento”, ele também é descrito pela atual dona como uma formação de um empreendimento separado da atual operação na área de telecomunicações. Os acionistas da AT&T vão manter suas ações na transição, e o atual presidente e CEO do Discovery David Zaslav está confirmado como principal liderança da nova companhia, que contará com executivos de ambas as partes – mas ainda não se sabe o futuro de Jason Kilar, atual CEO da WarnerMedia, na estrutura.

Em termos financeiros, a AT&T deve receber todo o valor supracitado da Discovery por meio de uma combinação de dinheiro, títulos de dívida e da retenção de débito da Warner. A expectativa é que a fusão esteja concluída até 2022, conforme as lideranças das duas empresas já aprovaram o negócio e reguladores iniciaram o processo de avaliação do procedimento, e a divisão das ações está prevista para ser de 71% à acionistas da AT&T e 29% aos do Discovery.

Ainda não se sabe como fica os planos do HBO Max e do Discovery+ em toda essa movimentação – ambas as empresas já confirmaram que o lançamento de um plano com anúncios do primeiro segue em voga, pelo menos – mas para a AT&T a decisão da venda já põe um fim definitivo na sua incursão pelo entretenimento, com o CEO John Stankey confirmando que o objetivo é focar o negócio na área de comunicações. O curioso é o grau do fracasso do empreendimento envolvido: além do valor da aquisição dos estúdios da Warner em 2016 ser de US$ 85,4 bilhões, a AT&T recentemente também vendeu a DirecTV, se livrando do negócio por US$ 16,25 bilhões em fevereiro depois de gastar US$ 48,5 bilhões em 2015.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link