3000
Imagem: Toru Hanai/Pool Photo via AP

Para a surpresa de ninguém, Brisbane é eleita sede dos Jogos Olímpicos de 2032

Cidade australiana concorria sozinha pela escolha

por Pedro Strazza

O Comitê Olímpico Internacional confirmou nesta quarta (21) que a cidade de Brisbane, Austrália, será a sede dos Jogos Olímpicos de 2032. De acordo com a Folha de São Paulo, a capital de Queensland obteve 72 dos 80 votos possíveis entre os membros da organização, com apenas cinco se mostrando contra a escolha.

Esta é a terceira vez que uma cidade australiana servirá de sede para a Olimpíada, depois que Melbourne e Sydney realizam jogos em 1956 e 2000, respectivamente. Ao contrário de suas antecessoras, porém, Brisbane concorreu sozinha pelo cargo de cidade-sede, conforme o COI deu direitos exclusivos de negociação a esta em fevereiro. É a primeira vez que a organização testa tal formato, para o desespero de interessados no Catar, Hungria e Alemanha.

Além do clima favorável, a escolhida tem a seu favor uma infraestrutura previamente montada, graças à realização dos Jogos da Commonwealth em 2018 e um histórico mais ou menos constante com eventos esportivos – cerca de 84% dos locais necessários já estão prontos, segundo o anúncio. Enquanto a expectativa é que muitos dos eventos olímpicos se espalhem para toda a região de Queensland, a prefeitura já confirmou planos de renovação do Gabba, seu tradicional estádio de críquete, para possibilitar o aporte de mais modalidades.

A escolha antecipada da sede de 2032 também favorece planos do próprio COI. A Associated Press aponta que mesmo sendo uma cidade de médio porte, Brisbane junto de Paris (escolhida para os Jogos de 2024) e Los Angeles (responsável pelos de 2028) representa maior estabilidade para o evento ao oferecer riscos menores à organização. Em especial depois que as Olimpíadas no Rio de Janeiro e as de agora em Tóquio proporcionarem investigações internas, bem como os Jogos de Inverno em Pequim no ano que vem já estarem previstos para atrair críticas sobre questões de direitos humanos – isso fora a polêmica atual com a pandemia.

O COI também já garantiu os direitos de transmissão e as cotas maiores de patrocínio para 2032, com a Coca-Cola, a Visa e a Omega assinando para assumir as últimas.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link