Amazon quer monitorar teclados e mouses dos funcionários para evitar vazamentos de dados

Amazon quer monitorar teclados e mouses dos funcionários para evitar vazamentos de dados

Justificativa da companhia é que o monitoramento usando um software seria feito a fim de evitar vazamentos de dados dos clientes por terceiros

por Soraia Alves

De acordo com um documento interno da Amazon obtido pela Motherboard, a empresa de Jeff Bezos pretende monitorar como seus funcionários usam teclados e mouses. Como explica a reportagem da Vice, a justificativa da companhia é que o monitoramento seria feito a fim de evitar vazamentos de dados dos clientes.

Segundo o relatório, a Amazon deve usar ferramentas de licenciamento de uma empresa chamada BehavioSec. Na página da empresa sobre o software, ela explica que o mesmo “não depende de informações de identificação pessoal ou outros dados estáticos”. A BehvioSec usa “biometria comportamental” para gerar um perfil de como alguém digita e usa um computador. O software, então, utiliza esse perfil para verificar se um hacker não comprometeu o dispositivo de um funcionário, por exemplo. O site da BehavioSec também lista algumas empresas que já usariam o sistema, como Cisco e Deutsche Telekom.

No documento interno, a Amazon afirma que precisa desse software para combater ameaças à segurança da empresa, e aponta quatro casos em que sua equipe de segurança identificou incidentes nos quais alguém se passou por um agente de serviço da empresa para obter dados de clientes. “Temos uma lacuna de segurança porque não temos um mecanismo confiável para verificar se os usuários são quem afirmam ser”, diz o relatório.

A Amazon também se diz mais preocupada com sua segurança interna desde que o trabalho remoto foi amplamento adotado na empresa devido à pandemia, e aponta vários cenários hipotéticos contra os quais deseja se proteger, incluindo um em que um funcionário do atendimento ao cliente se esquece de bloquear o computador e um “roommate” rouba os dados da empresa.

A Amazon ainda não comentou oficialmente sobre as implicações éticas de monitorar os funcionários dessa forma.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link