A síndrome do Ursulão

A síndrome do Ursulão

por Saulo Mileti

Para quem não lembra (assista o vídeo), o Ursulão é um personagem de desenho animado que sempre decidia fazer as tarefas de casa, ao invés de dar dinheiro para a mulher contratar um especialista (eletricista, encanador, pintor): e claro, sempre dava merda. A casa pegava fogo; o cano estourava; o motor do carro fundia. E no final, ele tinha que gastar mais grana pra limpar toda a cagada.

No desenho era engraçado.
No nosso mercado, não.

Pode parecer exagero, mas não é: já perdi a conta de quantos Ursulões bateram na minha porta (ou em agências que trabalhei). Normalmente são clientes que não conseguem tangibilizar um determinado projeto, acabam questionando o investimento proposto pela agência e tomam a sábia decisão de partir pro home made. Em outras palavras: “Xá comigo! Faço essa idéia por aqui!”.

Sem conhecimento técnico. Sem prática. Sem critério estético. Pedem para o menino da arte ou o da tecnologia resolver a coisa. Às vezes até chamam o sobrinho que tem CorelDraw no computador. E pau no gato!

Não faz muito tempo, vi uma multinacional negar uma proposta para o desenvolvimento de um site (para o mercado brasileiro) que custaria a bagatela de 10 mil reais. Pois alguém lá de dentro teve a idéia ursolina de pedir para a matriz enviar os arquivos do site americano. Assim eles poderiam ser traduzidos e adaptados aqui, no Tupiniquim. Detalhe: catálogo com 2.000 produtos.

Seria viável se o site fosse feito em uma linguagem padrão. Mas não era o caso. O site, em Ruby (prazer, Saulo), deu mais trabalho do que eles imaginavam: não conseguiram achar programadores especialistas nisso, nem ninguém que topasse adaptar e traduzir o site.

O resultado? O que, novo, custaria 10…
… usado e recalchutado, custou 35.
Demorou pra arrumar alguém. Demorou pra ficar pronto. E ficou tosco.

A síndrome do Ursulão é uma doença, que prejudica o cliente invariavelmente, trazendo graves consequências a saúde de uma marca. Se os sintomas persistirem, procure um especialista.

Compartilhe: