Garoto muçulmano preso por construir relógio é convidado à Casa Branca e ao Facebook

Obama e Zuckerberg querem ver de perto o que o garoto é capaz

por Rafael Silva

“Eu gosto de inventar coisas”. É assim que Ahmed Mohamed, um garoto de 14 anos, se defendeu de acusações de que teria construído uma bomba e levado para sua escola. Na verdade o que ele levou era apenas um relógio, mas isso não impediu que o diretor da escola e a polícia da cidade de Irving, no Texas, prendessem o garoto e o interrogassem. A história tem todos os elementos de preconceito religioso e, embora esse seja um debate que deva acontecer, não é o foco deste post.

A história de Ahmed chegou aos ouvidos do presidente Barack Obama. Ele, por sua vez, resolveu compartilhar em um tweet sensível e direto ao ponto: “Relógio legal, Ahmed”, e diz também que “Deveríamos inspirar mais crianças como você a gostar de ciência”. O presidente o convidou a visitar a Casa Branca trazendo sua invenção.

Zuckerberg também se sensibilizou com a história. Em um post no seu perfil pessoal, o CEO do Facebook disse que “ter habilidade e ambição para construir algo legal deveria ser motivo de aplauso, não de prisão”. Ele também convidou Ahmed a visitar a sede do Facebook.

You’ve probably seen the story about Ahmed, the 14 year old student in Texas who built a clock and was arrested when he…

Posted by Mark Zuckerberg on Wednesday, September 16, 2015

A abordagem que os dois deram à história de Ahmed nas redes sociais é algo fantástico, e talvez alavanque um tão merecido debate que os EUA (e o resto do mundo) precisam ter sobre intolerância religiosa. A tenra resposta de Obama e Zuckerberg pode não ter o mesmo peso do tamanho do preconceito que o garoto sofreu, mas já é algo que pode incentivar outras crianças na mesma situação a não perderem a esperança.

Afinal de contas, um deles é um grande líder reconhecido mundialmente. E outro é o presidente dos EUA.

Compartilhe: