Clicky

Vogue Brasil usa Photoshop para "desmembrar" atores em campanha das Paralimpíadas

Vogue Brasil usa Photoshop para “desmembrar” atores em campanha das Paralimpíadas

Campanha quis mostrar representatividade, mas não deu muito certo

por Rafael Silva

Boa parte dos ingressos para as Paralimpíadas estão parados nas bilheterias. Com a competição se aproximando rápido, a revista Vogue Brasil decidiu apoiar uma campanha para a ocasião e publicou no seu Instagram a foto acima. Na campanha, que usa a hashtag #SomosTodosParalímpicos, dois atores foram desmembrados usando Photoshop para entrarem no espírito paralímpico.

Segundo a descrição da foto, os atores Cléo Pires e Paulo Vilhena representam atletas reais: Bruna Alexandre, paratleta de tênis de mesa, e Renato Leite, paratleta de vôlei sentado. Os atores também foram nomeados “embaixadores da competição”.

Nos comentários da publicação, a maior parte não curtiu muito a iniciativa da revista – e com razão, já que é uma puta bola fora fazer uma campanha com esse tema usando como motes centrais pessoas que não são paratletas. Um dos comentaristas levanta o ponto: “com essa campanha os paralímpicos continuam invisíveis”. Então a pergunta que fica é: por que eles não usaram na foto os atletas que os atores representam?

O desenvolvimento da campanha foi da África. O posicionamento da agência está logo abixo.

Em um post no seu blog, a Vogue Brasil publicou uma foto com os atores e os atletas juntos, reproduzida abaixo. Ainda assim, a escolha da foto que foi publicada e o Photoshop nos membros dos atores continuam sendo ações questionáveis da campanha.

vogue-brasil-paralimpiadas2

A revista, que acompanhou o ensaio de onde saíram essas fotos e trará Cléo Pires na capa em setembro, tenta desesperadamente tirar o seu da reta. O post do seu blog foi atualizado repetidas vezes para esclarecer que eles não idealizaram a campanha – apenas divulgaram em primeira mão e envolveram parte da sua equipe no seu desenvolvimento (quase nada, certo?). O diretor de arte da revista, Clayton Carneiro, diz o seguinte:

“E para quem nao sabe, a ideia toda da campanha foi da embaixadora das Paralimpiadas, Cleo Pires. A gente sabia que seria um soco no estômago, mas estavamos lá por uma boa causa”.

O texto agora também diz que a campanha foi endossada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. O comitê, por sua vez, declarou em nota o seguinte:

“A campanha com a participação dos embaixadores do movimento paralímpico brasileiro Cleo Pires e Paulo Vilhena tem o apoio do CPB. O objetivo da campanha é chamar atenção para as pessoas com deficiência num momento em que o Brasil se aproxima dos Jogos Paralímpicos. De acordo com as estatísticas oficiais, um em cada quatro brasileiros tem algum tipo de deficiência. Mas essas pessoas ainda são, em grande maioria, invisíveis na nossa sociedade. Os atletas estão presentes em outras fotos e ficaram muito felizes em participar da campanha”.

A agência África compartilha desse posicionamento, segundo sua assessoria de imprensa.

Esse texto foi atualizado para incluir novas informações e esclarecer a participação das partes envolvidas.

Compartilhe: