Cultura

Stephen Hawking: sua contribuição para além da Ciência, lições e as homenagens para o gênio

Físico britânico também contribuiu com a cultura pop e deixou diversos ensinamentos de vida

por Soraia Alves

O físico britânico Stephen Hawking, o cientista mais brilhante de sua geração, morreu nesta quarta-feira (14/03), aos 76 anos.

Além de sua genialidade e contribuição extremamente significativa para a Ciência com temas como a origem do universo, Hawking ficou conhecido como exemplo de determinação por enfrentar desde os 21 a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), doença degenerativa que destrói os neurônios motores, e por continuar suas pesquisas mesmo com os movimentos totalmente comprometidos.

Um, lembre-se de olhar para as estrelas e não para baixo em seus pés. Dois, nunca desista do trabalho. O trabalho dá sentido e propósito e a vida fica vazia sem ele. Três, se tiverem a sorte de encontrar o amor, lembre-se que está lá e não jogue fora.” – [ABC News, 2010]

A cultura pop também utilizou o cientista por diversas vezes como referência. Em 1993, ele apareceu no episódio “Descent”, da sexta temporada de “Star Trek”, interpretando ele mesmo ao jogar pôquer com Isaac Newton (John Neville) e Albert Einstein (Jim Norton).

A série “The Big Bag Theory” também contou com a participação de Stephen Hawking por duas vezes, em 2011 e 2017.

“The Simpsons” (claro) entra na lista. O cientista esteve 4 vezes no seriado (1999, 2004, 2006 e 2010), sempre representado como ele mesmo. Em 1999, ele chegou a declarar que “Os Simpsons é o melhor da televisão americana“.

Outro desenho que Hawking também apareceu várias vezes foi em “Futurama”. Há ainda a aparição, em 2014, no documentário “Monty Python: O Sentido da Vida ao Vivo“.

Já o documentário “Uma Breve História do Tempo”, de 1992, mostra a vida e desenvolvimento do trabalho do físico, assim como a versão cinematográfica “A Teoria de Tudo”, que rendeu o Oscar de Melhor Ator a Eddie Redmayner.

O meu conselho para outras pessoas com deficiência seria, concentre-se em coisas que sua deficiência não o impede de fazer bem e não se arrependa das coisas com as quais interfere. Não seja desabilitado em espírito e fisicamente.” – [The New York Times, 2011]

A influência de Hawking também se estendeu à música, principalmente com sua participação na faixa “Keep Talking“, do Pink FloydDavid Gilmour ouviu a voz de Hawking em um comercial da British Telecom, comprou seus direitos e utilizou na música.

Homenagens

Desde o anúncio oficial de seu falecimento, Stephen Hawking tem recebido diversas homenagens por sua genialidade e contribuição com o desenvolvimento da humanidade. Muitas artes especiais chamaram atenção pela sensibilidade.

Mas, talvez uma das mais significativas tenha sido a homenagem feita pela Universidade de Cambridge, onde era professor lucasiano emérito.

O vídeo traz um discurso do próprio Hawking

Para lembrar

Stephen Hawking desafiou as probabilidades e deixou ensinamentos que vão além da Ciência, afinal, um verdadeiro gênio sempre nos traz lições da vida em geral. Por isso, separamos algumas das frases do físico que guardaremos com carinho e inspiração sempre:

A vida seria trágica se não fosse engraçada
[The New York Times Magazine, 2004]

Acredito que o desenvolvimento pleno da inteligência artificial poderia significar o fim da raça humana.” [BBC, 2014]

Minhas expectativas se reduziram a zero quando tinha 21 anos. O restante foi um presente.
[The New York Times Magazine, 2004]

A vítima deveria ter o direito de terminar sua vida, se quiser. Mas acho que seria um grande erro. Mesmo que a vida possa parecer ruim, sempre há algo que você pode fazer e ter sucesso. Enquanto há vida, há esperança.” [Sobre a eutanásia]

Estamos em risco de nos destruir por conta de nossa cobiça e estupidez. Não podemos permanecer olhando para dentro de nós em um planeta pequeno e crescentemente poluído e superpovoado.