Sete anos depois de ser banido, Lars von Trier está de volta ao Festival de Cannes

“Fahrenheit 451”, “The Man Who Killed Don Quixote” e documentário sobre Whitney Houston também foram incluídos na programação do evento

por Pedro Strazza

Há quase sete anos, o cineasta dinamarquês Lars von Trier se viu banido do Festival de Cannes após fazer comentários antissemitas no evento. Na época na competição pela Palma de Ouro com seu “Melancolia”, o diretor polemizou na coletiva de imprensa do filme ao afirmar ser um nazista e que “agora entendia e simpatizava com Hitler” depois de ter deixado de ser judeu, comentários que não só geraram um gigantesco escândalo nos veículos que cobriam a mostra mas também fizeram a organização de Cannes declarar von Trier uma “persona non grata” do festival.

Mas o título ganho pelo cineasta – que por um tempo o usou com orgulho – pelo visto tinha prazo de validade, pois a mesma organização de Cannes anunciou hoje (19) que o seu novo filme estará presente na programação do festival deste ano. Estrelado por Matt Dillon, Uma Thurman e Riley Keough, “The House That Jack Built” vai passar na seção fora de competição do evento, se unindo às produções “Han Solo – Uma História Star Wars” e “Le Grand Brain” que já haviam sido previamente anunciadas no line-up.

Além do filme de von Trier, a organização de Cannes revelou a entrada de outras produções em diferentes áreas do festival. Enquanto os longas “Knife + Heart” (de Yann Gonzalez), “Akya” (de Sergey Dvortsevoy) e “The Wild Pear Tree” (do vencedor da Palma de Ouro Nuri Bilge Ceylan) vão entrar na programação da competição oficial, o “Muere, Monstruo, Muere” de Alejandro Fadel e o “The Dead and the Others” de Joao Salaviza e Renee Nader Messora foram incluídos na seleção da Un Certain Regard, que também teve anunciado o “Donbass” do russo Sergey Loznitsa como seu filme de encerramento.

Outras atrações anunciadas pelo festival incluem a exibição nas sessões da meia-noite de “Whitney”, documentário sobre a cantora Whitney Houston comandado por Kevin MacDonald, e “Fahrenheit 451”, adaptação do livro de Ray Bradbury que a HBO pretende lançar no dia 19 de maio; “The Man Who Killed Don Quixote”o azarado projeto de Terry Gilliam – também foi divulgado como filme de encerramento da edição deste ano.

Estando há pouco mais de duas semanas de sua realização e com esta nova leva da programação divulgada, Cannes parece ter sua programação praticamente definida sobre quem deve ou não fazer seu debute nesta que é a sua 71° edição. A única dúvida que ainda paira sobre o festival é a decisão relativa aos filmes retirados de consideração pela Netflix após a notícia de seu banimento da competição do evento, que incluem o novo projeto do cineasta mexicano Alfonso Cuarón e o lançamento de “The Other Side of The Wind”, obra inacabada do falecido Orson Welles que foi recentemente finalizada com auxílio do serviço de streaming. Com a família de Welles pedindo para a Netflix reconsiderar a decisão e o diretor de Cannes Thierry Frémaux interessado em incluir os dois longas, as negociações entre as duas partes devem durar mais alguns dias.

O Festival de Cannes ocorre entre os dias 8 e 19 de maio.

Compartilhe: