5ace4404facba839008b45c5

Filmagens de “Vingadores: Guerra Infinita” resultaram em 900 horas de material, revelam montadores

Jeffrey Ford e Matthew Schimdt afirmam que o principal desafio da montagem do filme foi distribuir os tempos de tela do grande elenco de personagens

por Pedro Strazza

Ainda que todo mundo já saiba disso há tempos, a escala das coisas ao redor de “Vingadores: Guerra Infinita” continua a surpreender dia após dia. O filme do Marvel Studios já é a maior bilheteria de estreia no mundo, faturando mais de 600 milhões de dólares só nos três primeiros dias em cartaz, e contou com uma infraestrutura absurda para conseguir realizar as filmagens necessárias com todos os seus atores principais. Foram longos seis meses de produção que não só ainda não acabaram (os irmãos Joe e Anthony Russo estão terminando as refilmagens da sequência neste exato momento) mas que também resultaram em um trabalho um tanto absurdo para a equipe da pós-produção depois.

Quem teve que lidar com todo este material, é claro, foram os montadores Jeffrey Ford e Matthew Schimdt, que revelaram em entrevista à Variety alguns detalhes da verdadeira odisseia para finalizar o gigantesco crossover promovido pelo estúdio. Colaboradores antigos dos Russo (eles também foram responsáveis por segurar a barra da pós em “Capitão América: O Soldado Invernal” e “Capitão América: Guerra Civil”), os montadores revelaram que tiveram que trabalhar no fim com 900 horas de material bruto, resultantes tanto dos 180 dias das filmagens principais quanto dos outros 100 dos trabalhos da segunda unidade: “Conforme o material chegava, nós assistíamos juntos e depois dividíamos de forma a criar duas linhas de produção brutas. A partir daí, nós começávamos a cuidar de certas sequências” afirma Ford, que também comenta que os dois trocavam notas e até sequências entre si para se ajudarem.

O desafio maior, porém, não era a quantidade de filmagens, mas sim a distribuição dos tempos entre os heróis. “As transições de um personagem para outro trazem o filme à vida. Quando você passa o bastão para o próximo, isso realmente ajuda a história a ganhar forma” diz Ford. O humor, neste sentido, foi primordial para cimentar estas relações: na cena em que os Guardiões da Galáxia encontram o Thor (Chris Hemsworth) pela primeira vez, foi Schimdt quem criou o clima de comédia no estranhamento inicial da equipe espacial com o deus nórdico, mas Ford assumiu depois para criar o embate masculino de Peter Quill (Chris Pratt) com o asgardiano.

Os efeitos visuais também complicaram a situação. “Eles começaram a planejá-los [os efeitos] um ano antes de começarmos a filmar.” comenta Schimdt sobre o caso, elogiando o trabalho da equipe de pré-visualização para auxiliar nos esforços de montagem: “A gente enviava a eles algumas perguntas e eles voltavam com um mundo inteiramente novo para cortarmos. O material estava constantemente evoluindo”.

O mais curioso é que a trilha sonora de Alan Silvestri não influenciava o trabalho da dupla, que afirma na entrevista que estava muito mais antenada com a edição do som feita por Shannon Mills. “Em todas as coisas que precisavam ser abordadas visualmente, nós também precisávamos comentar sobre o design de som. Assim, quando começamos a chegar ao fim dos trabalhos, todas as decisões importantes já haviam sido feitas.” revela Ford, enquanto Schimdt afirma que “se uma cena funciona bem sem música, ela vai ficar muito melhor com ela”.

O trabalho sobre “Guerra Infinita” foi extenso e só foi terminar pouco tempo antes da estreia – segundo os montadores, o corte final ficou pronto apenas algumas semanas antes da premiere em Los Angeles – mas por mais difícil que tenha sido realizar os 2950 cortes do filme os dois acabaram desenvolvendo o trabalho do terceiro capítulo dos “Vingadores” junto do próximo episódio, que foi filmado simultaneamente. “Conforme o filme evoluía, qualquer coisa que pensávamos estar perdendo nós éramos capazes de avistar enquanto Anthony e Joe estavam filmando ‘Vingadores 4’.” diz Schimdt; “Mais pro fim, Jeff e eu nos sentávamos em salas separadas, onde ele trabalhava em ‘Guerra Infinita’ e eu continuava cortando ‘Vingadores 4’ para ter certeza que ele não saísse dos trilhos”.

“Vingadores: Guerra Infinita” segue em cartaz nos cinemas – aproveite para ouvir o episódio do Cinemático sobre o longa.

Compartilhe: