Social Media

WordPress atualiza políticas de privacidade para proteger vítimas de massacre escolar

Produzidas por Alex Jones, fake news sobre Sandy Hook já fizeram pais de vítimas processarem o teorista da conspiração

por Matheus Fiore

Assim como o Facebook, o WordPress vem se posicionando contra grupos da famosa “alt-right”. Como resultado, diversos blogs foram removidos da plataforma, mesmo que não estivessem violando diretamente os termos de uso da empresa. Agora, porém, o WordPress criou uma nova regra para lidar especificamente com esses grupos extremos.

Sempre que uma postagem for enquadrada por ser uma “publicação mal-intencionada com imagens não autorizadas e que identifiquem menores”, ela será removida. Como resultado, o WordPress agora lidará diretamente com uma das mais famosas fake news dos últimos anos, a teoria absurda criada por Alex Jones que diz que o massacre de Sandy Hook, que vitimou 26 pessoas numa escola americana, foi uma manobra da esquerda para fortalecer o lobby pró-desarmamentista.

Fake news como essa vêm sendo propagadas por Jones e seu site, o InfoWars há um bom tempo, com a de Sandy Hook sendo endossada por pessoas desinformadas mundo afora. Como resultado, pais de algumas das vítimas do massacre estão processando Jones pelo desrespeito à memória dos falecidos. Leonard Pozner, por exemplo, perdeu seu filho de seis anos no massacre, e afirma ficar, todos os dias, horas de frente para o computador, tentando apagar as teorias conspiratórias sobre o falecimento do menino.

O WordPress hospeda o total de 31,6% dos sites existentes na internet. Podemos esperar, portanto, que essa atualização nos termos de uso impacte diretamente na forma como as fake news são propagadas.

A Automattic, empresa que administra o WordPress, concedeu entrevista ao The New York Times. “A dor que a família sofreu é muito real e, se ligada ao conteúdo dos sites que hospedamos, queremos ter políticas para lidar com isso” disse um porta-voz, para embasar a escolha por não permitir conteúdos como o produzido por Jones.

Utilizando como desculpa a “liberdade de expressão”, pessoas como Alex Jones vem produzindo notícias falsas e propagando discurso de ódio na internet. Como resultado, empresas como o TwitterYouTubeVimeoSpotify Apple se posicionaram contra, o que resultou no banimento de inúmeros vídeos e podcasts do tipo.