db-b9

Danny Boyle abandona direção do novo “007”

Longa que estava agendado para novembro de 2019 fica sem diretor e continua sem ator principal definido

por Matheus Fiore

Por meio do Twitter oficial da cinesérie, foi anunciado que Danny Boyle não será o diretor do próximo “007”. No anúncio, os produtores Michael G. Wilson e Barbara Broccoli e Daniel Craig, que desde 2006 interpreta James Bond, anunciaram que, por diferenças criativas, Danny Boyle decidiu não dirigir “Bond 25”.

A MGM havia agendado o filme para novembro de 2019, com a Universal distribuindo o longa internacionalmente. Não há, porém, qualquer informação quanto aos efeitos da saída de Boyle na data, bem como não há especulações sobre quem herdará a direção.

Vencedor do Oscar por “Quem Quer Ser Um Milionário”, de 2007, Boyle dirigiu, recentemente, “Steve Jobs”, a cinebiografia do fundador da Apple, e “T2 Trainspotting”, continuação da obra de 1996 que o alçou à fama. Ele havia sido anunciado como novo responsável pela franquia em março deste ano.

Boyle sempre foi um diretor capaz de imprimir sua assinatura aos filmes em que dirigiu, o que pode ter sido um dos motivos de seu rompimento com a equipe responsável pelo próximo “007”. Apesar da reinvenção da saga iniciada em “Cassino Royale”, de 2006, aos poucos a saga de James Bond reinseriu elementos clássicos da série, como os personagens Q e Moneypenny, além de começar a trazer vilões clássicos. É possível cogitarmos, portanto, que o próximo filme seja ainda mais nostálgico e preso ao cânone, o que tende a causar conflitos com as ideias autorais de Boyle.

Com a saída de Boyle, a saga “007” passa a estar num território ainda mais indefinido, já que o papel protagonista do próximo filme também não possui um ator definido. Idris Elba é um dos cotados para o papel e seria o primeiro negro a viver o icônico espião. O autor da série de livros que inspirou os filmes, Anthony Horowitz, já disse ser favorável a mudança étnica do personagem.

Compartilhe: