Clicky

Pouco Pixel 132 - Não assalte outros navios!
capa-b9-s04e132

Pouco Pixel 132 – Não assalte outros navios!

Invadir, pilhar, tomar o que é nosso

por Pouco Pixel

Porque pirataria é crime! Adriano Brandão e Danilo Silvestre refletem sobre os motivos que levaram e ainda levam uma multidão de gamers a piratear jogos. Tem a ver com preço, oferta, disponibilidade, comodidade… qual é o fator principal? Por que não nos sentíamos mal quando copiávamos jogos dos amiguinhos? Quais as consequências das leis de direitos autorais na preservação da história dos video games? Por que não há “gametecas” de consulta (e jogatina) livre? Acesso a video games é um direito de todos?

[Grandes assuntos merecem ser revisitados. Este é um episódio da série Remastered, que aborda, com conteúdo 100% novo, os temas dos primeiros dias do Pouco Pixel. O podcast desta semana é uma releitura inédita do episódio #21, de setembro de 2015.]

Download | iTunes | Android | Feed | Spotify

00:11:41 – Tema
01:10:14 – Telecatch

Seja um mecenas esclarecido!

Contribua com o Pouco Pixel e faça parte de um grupo privilegiado que não somente participa do nosso grupo secreto no Facebook, com muita interação e papos aleatórios exclusivos, como também recebe antecipadamente os episódios do podcast! Tudo isso por somente 10 reais por mês – mais barato que suco de shopping.

Receba todas as novidades do Pouco Pixel…

… na hora em que elas acontecerem! Episódios novos, bastidores das gravações, lançamento do crowdfunding dos livros… seja lá o que for, você fica sabendo em primeira mão no Fanclic. O Fanclic é um aplicativo para iPhone e Android que, ao contrário de ~certas redes sociais~, realmente te mostra tudo o que seus criadores favoritos fazem. Sem filtro, sem pegadinha. Instale agora e siga o Pouco Pixel – além de ser bem legal, a grana da publicidade ajuda a gente também!

Os famosos links no post

Siga a gente no Fanclic e receba notificações com todas as novidades do Pouco Pixel!
> Se tiver coragem de encarar o áudio ruim, no episódio #21 fizemos outra abordagem ao tema da pirataria
> O Brasil vai parar! Greve geral dos artistas plásticos
> Uma licença do Windows 10 para uso doméstico custa 560 reais; para empresas, custa 1200 reais
> Andrew Keen publicou um famoso libelo contra o conteúdo gerado pelo usuário em “O culto do amador“, de 2007
> A Nintendo processou dois grandes sites de emulação, o LoveRoms e o LoveRetro; o rescaldo atingiu o ainda mais famoso EmuParadise, que tirou os jogos da Big N do seu acervo
> No Brasil, nos Estados Unidos e em diversos outros países, software é considerado “literatura” e protegido pelas mesmas leis de direitos autorais. Nos EUA, livros são protegidos por até 70 anos depois da morte do autor, com uma exceção: obras encomendadas entram em domínio público somente após 125 anos da morte do autor ou após 95 anos da publicação, o que for menor
> Uma lei criada no final dos anos 1960 abatia impostos de gravações brasileiras; o selo “Disco é cultura“, tão comum nos LPs até os anos 80, indicava esse benefício fiscal
> O programa de TV de luta livre Telecatch foi inicialmente patrocinado pela impresa de plásticos Vulcan, e se chamava Telecatch Vulcan; depois recebeu patrocínio dos runs Montilla e transformou-se em Telecatch Montilla
> “Castlevania” de Nintendinho terminava dando créditos a nomes inventados como Trans Fishers, Vran Stoker, James Banana, Christopher Bee, Belo Lugosi e Boris Karloffice
> Castlevania 3“, também de Nintendinho, começa como se fosse um rolo de filme antigo
> Atenção para a sequência de títulos de “Castlevania” no NES: “Castlevania“, “Castlevania II: Simon’s Quest” e “Castlevania III: Dracula’s Curse
> A Globo exibiu, entre 1991 e 1992, a novela “Vamp“, mais famoso exemplo do terrir brasileiro; provavelmente a origem do estilo está no musical “The Rocky Horror Show“, adaptado em 1975 no cult movie “The Rocky Horror Picture Show
> Metroid” foi lançado quarenta e poucos dias antes de “Castlevania“; são exatos contemporâneos, portanto
> Um novo “Streets of Rage” foi anunciado, mas ainda não tem data de lançamento. Aparentemente manterá o mesmo gameplay do original, com gráficos renovados

Nosso som

O tema de abertura do Pouco Pixel foi composto pelo Rodrigo Faleiros, da Wagging Tail. Conheça o trabalho dele! Já as vinhetas e a trilha sonora de fundo são do Azureflux.

Compartilhe: