A procura de novos desafios, fundadores do Instagram deixam a empresa

Rumores alegam que dupla vinha enfrentando constantes tensões com Mark Zuckerberg depois que ele resolveu se envolver no dia a dia do aplicativo

por Soraia Alves

Os cofundadores do Instagram Kevin Systrom (CEO) e Mike Krieger (CTO) anunciaram que estão em processo de deixar a empresa. Segundo o comunicado oficial publicado por Systrom, o motivo do desligamento da dupla seria a busca por novos desafios profissionais, principalmente para criar novos produtos para o mercado:

Mike e eu somos gratos pelos últimos oito anos no Instagram e seis anos com a equipe do Facebook. Nós crescemos de 13 pessoas para mais de mil com escritórios ao redor do mundo, tudo isso enquanto construímos produtos usados ​​e amados por uma comunidade de mais de um bilhão de pessoas. Agora estamos prontos para nosso próximo capítulo.

Estamos planejando tirar um tempo para explorar nossa curiosidade e criatividade novamente. Construir coisas novas requer que recuemos, entendamos o que nos inspira e combinemos com o que o mundo precisa; é isso que planejamos fazer.

Continuamos empolgados com o futuro do Instagram e do Facebook nos próximos anos, enquanto passamos de líderes para dois usuários em um bilhão. Estamos ansiosos para ver o que essas empresas inovadoras e extraordinárias farão a seguir.”

Embora essa seja a versão oficial, muitos rumores alegam que nem tudo caminhou tranquilamente no Instagram depois que a empresa foi adquirida pelo Facebook. Segundo o site Bloomberg, os cofundadores decidiram renunciar após “crescentes tensões” com Mark Zuckerberg, que passou a se envolver mais com o funcionamento diário da plataforma nos últimos tempos, comandando praticamente tudo sozinho.

Depois que Kevin divulgou o comunicado oficial, Zuckerberg também se pronunciou dizendo que “Kevin e Mike são líderes extraordinários de produtos e o Instagram reflete seus talentos criativos combinados. Eu aprendi muito trabalhando com eles nos últimos seis anos e gostei muito. Desejo-lhes tudo de bom e estou ansioso para ver o que eles construirão a seguir.”

Vale ressaltar que a decisão de Kevin e Mike segue os mesmos passos de Jam Koum, cofundador do WhatsApp que deixou a empresa em maio, também depois de ela passar a ser comandada por Zuckerberg. Em um todo, essas situações não ajudam o Facebook, que está tentando projetar confiança no público e no mercado desde que passou por constantes crises nos últimos dois anos, incluindo a relação com fake news, incitações à violência e o famoso escândalo do Cambridge Analytica deste ano.

Kevin e Mike fundaram o Instagram em 2010, e dois anos depois a plataforma foi adquirida pelo Facebook por US$ 715 milhões. Na época da venda, o Instagram tinha apenas 30 milhões de usuários, mas desde a aquisição do serviço pelo Facebook, sua base de usuários explodiu para mais de 1 bilhão.

Compartilhe: