fbpx

A Era do Pós-proposito

Gente 21

Ouvir A Era do Pós-proposito no Spotify
Ouvir A Era do Pós-proposito no Google Podcasts
Ouvir A Era do Pós-proposito no Apple Podcasts
Ouvir A Era do Pós-proposito no Pocket Casts
Ouvir A Era do Pós-proposito no Pocket Casts
Capa - A Era do Pós-proposito

Gente Conversa #21: Conceito aponta para uma sociedade mais consciente que prioriza consumir de marcas engajadas e que sejam efetivas em prol das causas que defendem

Globalmente 94% dos consumidores declaram que é importante para uma empresa ter um propósito forte e bem desenhado. Contudo, essa discussão já é antiga, pois o mundo já está na era do pós-propósito. E o que é isso? Agora a questão não está mais no discurso, mas na ação efetiva. O tema é tão relevante que o novo episódio de Gente Conversa, comandado por Ju Wallauer, recebe à mesa Gabriela Soares, Diretora de Estratégia da Talent Marcel, Herbert Zeizer, Head de Bens de Consumo da Globo, e Viviane Pepe, Diretora de Comunicação Avon.

Em um contexto de muitas urgências e poucas soluções, o que fazer em tempos de pandemia para ajudar a mudar o cenário? Quando se escolhe gastar seu dinheiro em uma marca, espera-se receber mais do que apenas um bom produto. Por isso, cada vez mais se amplia o conceito de consumidores e cidadãos. Isso ocorre quando há um pouco mais de responsabilidade com a sociedade e com o planeta.

Para Herbert Zeizer essa evolução da sociedade não foi linear: “Vamos fazendo a composição e nesse zigue zague consigo identificar uma evolução da sociedade nessa direção de consumir produtos de forma mais consciente. O consumidor está mais exigente, com mais disponibilidade para escolher”, explica.

E foi a pandemia que acelerou algumas dessas preocupações. Com a população em casa, muitos valores foram ressignificados. “A ideia do propósito é antiga, vem de uns 10 anos atrás quando as corporações voltaram para seus negócios tentando entender o que poderiam gerar de valor para a sociedade. O que ocorre de novo é o amadurecimento desse conceito. Não é mais sobre falar o que faz, mas sim sobre fazer, o que de fato eu faço para mostrar esse compromisso. E antes da pandemia isso era uma tendência apenas. E a pandemia virou urgência. As pessoas não esperam mais das marcas, elas exigem. E se não fazem, elas boicotam”, analisa Gabriela Soares.

Para a diretora de comunicação da Avon, Viviane Pepe, a pandemia evidenciou muitas questões que já existiam em relação ao comportamento e ao consumo. “A própria conexão que as pessoas têm com as marcas, a expectativa. É importante que as marcas sejam protagonistas nessas mudanças que o mundo está precisando. As marcas e o mundo inteiro estão sendo cobrados por se conectar com as necessidades do mundo”, aposta Viviane.

Vem ouvir com a gente!