SXSW 2019: Uma aceleradora e um time de… humanos

Palestra de Douglas Rushkoff ressalta importância da sociedade voltar a usar a tecnologia e o empreendedorismo a seu favor

por Juliana Vilhena Nascimento / Chief Business Officer da F.biz

Hoje meu dia por aqui começou meio decepcionante. 

Eu havia escolhido ver algumas sessões sobre realidade aumentada e MR mas não me encantei com nenhuma das duas. E com a FOMO comendo solta, me pus a caminho de uma palestra com um cara que já havia visto aqui outras duas vezes,  mas que pelo histórico talvez compensasse a manhã “fuóón” que tive. 

O cara, no caso, é Douglas Rushkoff, escritor serial e especialista em mídias americano que cada vez que publica um livro novo vem fazer uma palestra no SXSW. Este ano ele lançou “Team Human”, um livro que chama os leitores a relembrar e resgatar os bons e velhos valores humanos ao invés de se render passivamente à tecnologia. 

Engrossando um coro grande que vi por aqui, Rushkoff tomou uma posição clara contra o que ele chama de “mecanomorfismo”: basicamente o fato de nós querermos ser cada vez mais perfeitos e polidos e estarmos nos tornando cada vez mais parecidos com máquinas no nosso jeito massificado de agir, pensar, nos mostrar pro mundo. 

Ele também falou sobre como a internet e a tecnologia perderam a perspectiva que tinham há 10, 15 anos atrás. Naquele tempo, as startups nasciam perguntando “o que podemos fazer pelas pessoas?”. Agora, elas nascem pensando “como podemos fazer pessoas fazerem o que nós queremos que eles façam?”. Ao invés de criar tecnologia pras pessoas usarem, estamos criando tecnologia pra usar (n)as pessoas, diz ele.

Saindo da sessão, entrei numa outra na qual descobri a The Knowledge Society, que se define como uma “aceleradora de humanos”. Eles usam venture capital pra impulsionar a curiosidade e a pesquisa acadêmica de adolescentes entre 14 e 18 anos. 

Aqui, vi três destes estudantes falar sobre temas como computadores quânticos, nanotecnologia e edição de genes usando CRSPR – todos assuntos densos, profundos e complexos. Eles estavam super à vontade no palco de uma sala enorme, falando melhor do que muito palestrante experiente daqui.

Acabei o dia mais leve exatamente por ver que o venture capital também está sendo usado pra melhorar quem mais precisa avançar: o time dos humanos. 

> Confira a cobertura completa do B9 no SXSW 2019

Compartilhe: