Presidente Jair Bolsonaro censura campanha do Banco do Brasil focada na diversidade

Após pedido pessoal de Bolsonaro ao presidente do banco, resultado foi o veto do filme e a demissão do Diretor de Comunicação e Marketing do BB

por Soraia Alves

Por um pedido pessoal do presidente Jair Bolsonaro, a mais recente campanha do Banco do Brasil foi retirada do ar. O vídeo censurado pelo Palácio do Planalto era marcado pela diversidade, com a presença de atores e atrizes negros, e representando diferentes estilos contemporâneos justamente para conversar com o público jovem, alvo da campanha do banco na peça.

Segundo informações do colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, Bolsonaro se envolveu pessoalmente ao procurar o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, para reclamar do vídeo. O resultado foi a censura do filme e a demissão de Delano Valentim, Diretor de Comunicação e Marketing do Banco do Brasil.

Em comunicado, Novaes confirma que o presidente não gostou do vídeo, mas não explica o motivo da reprovação: “O presidente Bolsonaro e eu concordamos que o filme deveria ser recolhido. A saída do diretor é uma decisão de consenso, inclusive com aceitação do próprio”, diz Novaes.

A estética adotada pela campanha vetada é semelhante a de outros filmes veiculados pelo Banco do Brasil neste ano, todos voltados para o público jovem e sempre com muita representação e diversidade.

Compartilhe: