Paciência da Microsoft é incluído no Hall da Fama dos games

Jogo enfim tem seu valor cultural reconhecido pelo mundo

por Pedro Strazza

Quem viveu momentos de tédio perante um PC nos anos 90 e 2000 provavelmente se divertiu com o jogo de Paciência da Microsoft. Item praticamente comum nos computadores dotados de Windows durante as duas décadas, o game pegava uma das modalidades mais solitárias do baralho e lhe dava uma função relevante para o cotidiano tedioso de milhões de pessoas – incluindo os personagens de “The Office”, claro. Afinal, quem não se divertia quando finalmente resolvia o desafio de organização e o software o recompensava com a bagunça gostosa abaixo?

O game nunca deixou de ser estimado pelo público e ganhou inúmeras variações ao longo dos anos até a Microsoft deixar de torná-lo um item recorrente nas novas versões do Windows, mas o legado do chamado “Microsoft Solitaire” é tamanho que chamou a atenção daqueles dispostos a preserva a História dos videogames. Em comunicado oficial liberado nos últimos dias, o World Video Game Hall of Fame anunciou que a Paciência será incluída como membro oficial de seus livros, reconhecendo de vez seu valor histórico e cultural fundamental ao lado de outras obras fundamentais como o “Tetris” e o “Doom”.

Dado que estamos em 2019 a ideia de incluir a “Solitaire” agora pode parecer um tanto atrasada, mas a real é que a entidade por trás do Hall da Fama dos games é relativamente nova. Sediado no National Museum of Play em Rochester, Nova York, o World Video Game Hall of Fame foi iniciado apenas em 2015 pelo instituto educacional The Strong e vem incluindo anualmente novos membros aos seus corredores.

A inclusão, porém, não passou desapercebida pela Microsoft. Em uma publicação no blog oficial do Xbox, o Xbox Wire, o gerente do estúdio da Microsoft Casual Games Paul Jensen agradeceu a homenagem e o reconhecimento de um jogo que em suas palavras tem tamanho apelo a ponto de “ser localizado em 65 línguas e jogado em mais de 200 mercados ao redor do mundo, incluindo a Antártida”. O vice-presidente assistente de jogos eletrônicos da empresa Jeremy Saucier também declarou no post que a Paciência “provou que às vezes os jogos analógicos podem ser ainda mais populares no mundo digital e demonstrou que o mercado de games tem apelo para todos os tipos de público”.

Apesar de toda a solenidade, é bom lembrar que a Microsoft demorou um pouco para perceber a popularidade do próprio game. Presente em todas as versões entre o 3.0 e o 8.1, o “Solitaire” durante uma época ficou afastado dos sistemas operacionais da empresa e só reapareceu no Windows 10, quando a própria Microsoft reconheceu que o jogo tinha fãs devotos o suficiente para justificar sua presença.

Compartilhe: