Microsoft proíbe funcionários de usarem ferramentas como Google Docs, Slack, entre outros

Decisão é baseada na teoria que esses serviços permitem que empresas como Google e Amazon analisem diretamente alguns projetos da Microsoft

por Soraia Alves

A Microsoft quer assegurar que seus dados não “caiam nas mãos da concorrência”. E para isso, a empresa fez uma lista de ferramentas utilizadas no fluxo organizacional que estão proibidas de serem utilizadas por seus funcionários.

De acordo com um relatório do GeekWire, ferramentas como Slack, Google Docs e Amazon Web Services, entre outros. A ideia da empresa é garantir que todos mantenham as suas informações internamente, através do uso de seus próprios programas, porém, nem todos os programas da própria Microsoft estão liberados, caso do GitHub, que também aparece na lista de ferramentas proibidas.

A decisão é baseada na teoria que afirma que esses serviços permitiriam que empresas como Google e Amazon analisassem diretamente alguns projetos em que a Microsoft está trabalhando.

Em um trecho do documento publicado pelo GeekWire, a ordem é para que “os usuários existentes dessas soluções [Slack] devem migrar o histórico de bate-papo e os arquivos relacionados aos negócios da Microsoft para o Microsoft Teams, que oferece os mesmos recursos e aplicativos integrados do Office 365, funcionalidade de chamada e reunião”.

Vale lembrar que essa não é a primeira vez que Microsoft demonstra não aprovar o uso de produtos da concorrência por seus funcionários. Tempos atrás, a empresa desaprovou os funcionários que usavam tecnologias concorrentes, como o iPhone.

Compartilhe: