Agência abre mão de conta da Nivea por comentário homofóbico de executivo da empresa

Campanha proposta pela FCB com casal gay foi recusada pela marca. Em reunião, executivo disse: "Nós não trabalhamos com gays na Nivea"

por Soraia Alves

A FCB, uma das maiores agências de publicidade do mundo, encerrou seu contrato com Nivea. A decisão veio depois que um executivo da empresa teria dito durante uma reunião com a agência: “Nós não trabalhamos com gays na Nivea”.

Agência e empresa estavam em uma teleconferência sobre uma nova campanha da marca. A proposta da FCB era de um anúncio para a linha de cuidados masculinos, na qual apareceria um casal gay apenas tocando as mãos.

A ideia foi rejeitada pela Nivea, seguido então, o comentário de um funcionário sênior da empresa. O executivo sequer respeitou um dos funcionários da FCB, gay, presente na reunião.

Para a agência, o comentário do executivo foi “a última gota” em relação à Nivea, já que diversas tensões vinham acontecendo entre elas nos últimos anos, optando assim pelo fim da parceria de muitas décadas.

Em comunicado oficial, Carter Murray, CEO da FCB, afirmou que “escolhas difíceis levaram a agência a seguir um caminho diferente da marca”, embora o episódio comentário homofóbico não ter sido mencionado. Oficialmente, o contrato da Nivea acabaria no final de 2019.

A notícia também gerou uma onda de posts sugerindo o boicote à marca nas redes sociais.

A empresa proprietária da Nivea, a Beiersdorf AG, também emitiu um comunicado declarando que tem “tolerância zero para a discriminação” e está altamente comprometida com “diversidade, respeito mútuo e oportunidades iguais”.

Compartilhe: