Tinder cria função que protege usuários LGBT+ em países hostis

Ferramenta informará o usuário quando estiver em viagem por países que criminalizam relações não-heterossexuais e ocultará suas informações e localização para garantir sua segurança

por Pedro Strazza

Em uma nova atualização para sua plataforma que está lançando hoje (24), o Tinder adicionou uma nova função de segurança que permitirá à rede social proteger seus usuários LGBT+ quando em viagem a países que criminalizam relacionamentos não-heterossexual.

Intitulada “Traveler Alert”, a ferramenta usa de geolocalização para omitir usuários que se identifiquem como lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros ou queer a partir do momento que elas estejam em países onde leis contra sua minoria estejam em vigor. A plataforma não “colocará no mercado” automaticamente estes usuários quando nessas regiões a não ser que elas optem em tirar do privado sua localização, e mesmo assim ela ainda ocultará a informação de seu gênero e orientação sexual para protegê-lo de pessoas que vejam neste público um alvo. A partir do momento que o usuário deixar estes países, suas conta voltará ao normal.

De acordo com o Tinder, o “Traveler Alert” ainda avisará o usuário com o informe abaixo quando ele estiver viajando para uma nação onde relações de mesmo sexo são punidas pela lei. O propósito, segundo porta-vozes da empresa, é de “proteger os usuários que podem ser processados por sua identidade nestes países”, mantendo sua segurança quando em terras estrangeiras.

Os países previstos a ganhar este tipo de informe para turistas estrangeiros são os mesmos 69 que formam a lista de nações que consideram relações de mesmo sexo ilegal criada em março pela Associação Internacional de Gays e Lésbicas. Isso inclui os nove Estados que até hoje permitem penas de morte a cidadãos que sejam “pegos” em relacionamentos do tipo.

Compartilhe: