oscarshutterstock

Posteres do Shutterstock para o Oscar 2020 inclui arte de “Parasita” inspirada em Saul Bass

Ação também inclui cartazes inspirados em Yayoi Kasam, Takashi Murakami e David Hockney para os outros oito indicados a Melhor Filme

por Pedro Strazza

Pelo oitavo ano consecutivo, o Shutterstock aproveitou a semana do Oscar para realizar o “Oscar Pop!”, uma ação que envolve uma grande homenagem aos filmes indicados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas ao prêmio principal da cerimônia. Lançada em 2013, a iniciativa envolve o convite a um seleto grupo de designers para criar novas artes às produções lembradas pelos votantes para a estatueta maior, celebrando os longas a partir de referências em artistas e criativos históricos e o arquivo gigantesco do banco de imagens da empresa.

Em 2020, a diversidade de gêneros e temas presentes nos nove indicados foi a base ideal para os designers escolhidos usarem as inspirações mais fora da casinha, indo de elementos contemporâneos a clássicos. Entre os homenageados, destacam-se nomes como o de Saul Bass, Yayoi Kasam e David Hockney, o que por si só denota o nível de variedade que a edição deste ano gerou.

De acordo com o vice-presidente de criação Mike McCabe, a iniciativa “não apenas serve como um exercício divertido para a nossa equipe criativa explorar a profundidade da coleção Shutterstock como clientes, mas também demonstra as maneiras únicas pelas quais as incríveis obras de arte da nossa comunidade de contribuidores podem ser recombinadas para criar algo novo.”.

Confira abaixo os nove pôsteres criados para o “Oscar Pop!” de 2020:

“1917”

Inspirado nos trabalhos de David Carson, um dos “patronos” do visual do grunge, o pôster criado por JC Moreno aproveita o uso experimental de tipografia do designer gráfico estadunidense para proporcionar um efeito caótico na arte, um que reflete o que o artista define como “a neblina da guerra” que perpetua todo a narrativa do filme de Sam Mendes.

“Adoráveis Mulheres”

A arte de Alex Clem para a nova adaptação do livro de Louisa May Alcott para as telonas usa e abusa das colagens coloridas de Pauline Boty para refletir os temas relacionados ao feminino do filme de Greta Gerwig a partir dos mais diferentes e icônicos objetos de cena da história, incluindo o piano e o livro.

“Coringa”

Com referência na obra de Daniel Norris, o pôster criado por Jac Castillo sobre o controverso filme de origem do vilão do Batman busca incorporar a estética mais ou menos simples, mas cheia de detalhes do artista para criar uma arte “diferentona” e desafiadora para o complexo longa de Todd Phillips.

“Era Uma Vez em… Hollywood”

Concebido por Ian Calleja, a arte para o nono e em teoria penúltimo filme de Quentin Tarantino tem no “A Bigger Splash” de David Hockney a referência mais evidente – uma arte lançada apenas dois anos antes do assassinato de Sharon Tate pelas mãos da família Mason. Com mais de 20 ilustrações, vetores e texturas utilizadas, o cartaz une a pintura com o desfecho do longa a partir da arquitetura da casa de Rick Dalton e com detalhes dedicados a elementos secundários, incluindo o rombo na janela de vidro – tudo para chamar a atenção do espectador à camada de intriga do filme.

“Ford vs Ferrari”

Concebido por Alice Lee, a arte inspirada na cinebiografia dirigida por James Mangold aproveita as cores vibrantes e as flores humanas do estilo de Takashi Murakami para justapor a seriedade e alegria implícita nas corridas e carros dirigidos e desenvolvidos pelos protagonistas Carroll Shelby e Ken Miles.

“História de um Casamento”

Com referência nos trabalhos de Robert Indiana, um artista que é filho de divorciados, o pôster criado por Flo Lau para o drama de Noah Baumbach aproveita a série de ilustrações criadas por Indiana para o “Decade Autoportrait” e os centraliza na figura do jovem Henry, o menino que é filho dos protagonistas em processo de separação na história. Os elementos tipográficos inspirados em elementos do filme circundam a carta que o garoto lê para o pai ao final do longa.

“O Irlandês”

O pôster do “Oscar Pop!” inspirado no épico de Martin Scorsese foi concebido por Alex Bodin e aproveita a arte de rua de Thierry Guetta, o Mr. Brainwash que povoa as ruas de Los Angeles com pinturas feitas à base de muito respingo de tinta. A arte usa estes elementos para refletir a natureza tensa e caótica do longa – mas o designer diz que não esqueceu de deixar a porta aberta.

“Jojo Rabbit”

De autoria de Thanh Nguyen, o pôster especial do filme de Taika Waititi sobre a Segunda Guerra Mundial buscou inspiração nos trabalhos de Yayoi Kusama porque segundo o designer “a infância difícil e as obsessões [da artista plástica] foram fatores importantes” na sua trajetória profissional, algo que é muito similar ao arco dramático do protagonista. A arte é dominada por cores hipersaturadas e motivada pela representação de alucinações e fobias, tendo obviamente a figura nefasta de Hitler como mote central.

“Parasita”

De longe a arte mais chamativa da edição deste ano, o pôster dedicado ao filme de Bong Joon-ho naturalmente chama a atenção por conta da referência óbvia e imediata a Saul Bass, um dos maiores designers de cartazes da história do cinema. Criado por Nicole Dai, o cartaz toma as escadarias escondidas da casa principal da história como item central porque esta sintetiza as posições das duas famílias de personagens e o abismo social entre elas – algo que certamente faria Bass orgulhoso.

Compartilhe: