Google e YouTube lançam novos recursos para ensino em casa

Páginas Teach From Home e [email protected] ajudam professores e famílias a continuarem ensinando os alunos que estão em casa devido à pandemia do coronavírus

por Soraia Alves

O Google e o YouTube divulgaram novos recursos para ajudar professores e famílias a continuarem ensinando os alunos que estão em casa devido à pandemia do coronavírus.

A página do Google, chamada Teach From Home, oferece recomendações sobre como os professores podem ensinar remotamente usando os produtos do Google. O conteúdo apresenta ideias de como fazer uma vídeochamada com uma turma usando o Hangouts ou criar um questionário online usando o Formulários Google.

Segundo a empresa, a página “continuará evoluindo”, e também oferece um kit de ferramentas de “como ensinar em casa”, com recursos sobre como ensinar de forma remota organizados em uma série de slides.

No momento, o Teach from Home está disponível apenas em inglês, mas os kits de ferramentas para download estão disponíveis em dinamarquês, alemão, espanhol, francês, italiano e polonês, e o Google diz que mais idiomas estão “chegando em breve”.

Já o recurso do YouTube, o [email protected], destaca os canais educacionais da plataforma que podem ser usadas pelos alunos para estudar em casa. A página categoriza os canais recomendados para famílias com crianças de 13 anos ou mais, famílias com crianças de 5 anos ou mais e famílias com crianças em idade pré-escolar.

Alguns dos canais são CrashCourse, Discovery Education, Cool School, PBS Kids e Sesame Street. O [email protected] está disponível agora em inglês e também terá versões em italiano, francês, coreano, espanhol, japonês e muito mais “nos próximos dias”, de acordo com o YouTube.

Por fim, o Google também está lançando um fundo de ensino à distância de US$ 10 milhões como parte da contribuição de US$ 50 milhões da empresa feita por meio de seu braço filantrópico, Google.org. A primeira doação de US$ 1 milhão vai para a Khan Academy para ajudar a “oferecer oportunidades de aprendizado remoto aos alunos afetados pelo fechamento de escolas relacionadas ao COVID-19”, diz o comunicado da empresa.

Compartilhe: