Zoom planeja abrir escritório no Brasil no segundo semestre

Empresa já conta com cinco funcionários dedicados na abertura de um escritório no país, incluindo um que já está em São Paulo para cuidar da transição

por Pedro Strazza

Com todo o sucesso da plataforma em meio à quarentena, era apenas questão de tempo até o Zoom anunciar planos de expansão dos negócios. E se depender da empresa, o Brasil deve ser um dos primeiros países a receber a operação da companhia de videochamadas.

É a informação que Abe Smith, diretor de mercados internacionais da empresa, fornece em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, ao qual também confirma que o território brasileiro já estava nos planos do Zoom desde antes da pandemia do coronavírus explodir o negócio. A companhia já conta com cinco funcionários dedicados no plano de abertura de um escritório no país, com um já em São Paulo para cuidar da novidade.

E a expansão parece algo garantido no futuro próximo se considerar que a companhia é um dos líderes de crescimento do mercado de videoconferências. Da noite para o dia, o Zoom foi de 10 milhões a 200 milhões de usuários – e conta com mais projeções de aumento nestas semanas de isolamento.

O problema no momento é contornar todas as questões de quebra de privacidade da plataforma. De invasão de chamadas e vazamentos de senhas e dados pessoais, o Zoom se tornou um temor a empresas e órgãos federais, incluindo o Ministério da Justiça e da Segurança Pública que chegou a notificar a plataforma no começo do mês por compartilhar informações de usuários no Facebook sem permissão.

Abe se mostra confiante na resolução destes entraves, porém, dizendo que atualmente “transparência é fundamental” à empresa. “Fomos os mais abertos e transparentes na história da tecnologia. Publicamos informações quase diariamente. Publicamos um relatório de transparência. Formamos um conselho, que nos permite consultar os melhores especialista do mundo. E contratamos um consultor externo para nos ajudar com segurança e privacidade” declara o executivo ao Estado, citando a recente contratação do chefe de segurança digital do Facebook Alex Stamos como consultor independente do Zoom.

Compartilhe: