Estudo mostra que Instagram tem ampliado liderança sobre Facebook durante pandemia

Total de interações no Instagram foi quase 16 vezes maior do que no Facebook

por Soraia Alves

Uma pesquisa realizada pela Socialbakers, plataforma de soluções para otimização de performance corporativa em redes sociais, mostra que o Instagram ampliou sua liderança sobre o Facebook durante a pandemia de Covid-19, com uma audiência global 28% maior em comparação com apenas uma ligeira vantagem no final do ano passado.

O total de interações no Instagram foi quase 16 vezes maior do que no Facebook, que por sua vez viu seu engajamento crescer consideravelmente no último trimestre com o maior número de pessoas em casa em razão do isolamento social. As marcas, no entanto, ainda publicaram mais conteúdo no Facebook. Olhando para ambas plataformas, quase 60% de todas as postagens de marca dos 50 maiores perfis foram publicados no Facebook.

“O Instagram é cada vez mais o lugar certo para as empresas se mostrarem de maneira criativa, estimular engajamento e aumentar o reconhecimento da marca. Enquanto isso, o Facebook continua sendo a melhor opção para alcançar segmentos específicos do público e transformar leads em clientes”, afirma Alexandra Avelar, country manager da Socialbakers no Brasil.

No Brasil, os principais perfis de grandes marcas estão dividindo seu conteúdo entre o Facebook e o Instagram, mas estão vendo significativamente mais interações no Instagram. Já o tamanho da audiência para esses perfis permanece menor que no Facebook.

As principais marcas publicaram mais postagens no Facebook, mas o engajamento nessas postagens não atingiram os números alcançados no Instagram.

As conclusões do novo relatório “Social Media Trends Report Q1 2020” da Socialbakers foram feitas com base nos 50 maiores perfis de marcas do mundo e no Brasil, entre janeiro e março de 2020. O estudo reflete o banco de dados da Socialbakers no início do trimestre seguinte ao trimestre do relatório. Os dados são extraídos uma vez e não são atualizados entre as liberações.

Compartilhe: