Martin Scorsese faz curta-metragem sobre isolamento

Cineasta utilizou imagens de filmes clássicos para construir novo olhar no projeto, que estreia no próximo dia 28 de maio na TV britânica

por Matheus Fiore

Após o enorme sucesso de “O Irlandês”, o cineasta americano Martin Scorsese já estava trabalhando em seu próximo projeto, “Killers of the Flower Moon”, quando teve sua produção interrompida por causa da pandemia do novo coronavírus, que congelou praticamente toda a indústria cinematográfica mundial. Para não ficar ocioso no período de distanciamento social, Scorsese decidiu fazer um curta-metragem sobre isolamento, que estreará no “Lockdown Culture with Mary Beard” da BBC.

O curta estreia no próximo dia 28 e mostra Martin Scorsese explorando o que a quarentena significou para ele, com um olhar formado através das lentes de filmes clássicos em um filme “bastante pessoal”. É provável, portanto, que o curta utilize imagens de arquivo, recortando cenas específicas de obras do passado para construir o sentimento que o diretor quer passar com sua obra.

Segundo o The Film Stage, o diretor comentou sua experiência escrevendo que “O que eu busco para o futuro é carregar comigo o que eu fui obrigado a aprender nessas circunstâncias. Isso é essencial. As pessoas que você ama. Ser capaz de cuidar delas e de estar com elas pelo máximo de tempo que você puder”.

Curiosamente, o isolamento e o distanciamento sociais não são lá algo distante da filmografia recente do cineasta. Em “Silêncio”, por exemplo, Scorsese acompanha, por boa parte do filme, a jornada de um padre jesuíta (Andrew Garfield) que foi encarcerado no Japão e precisa lidar em silêncio com sua própria fé. Já em “O Irlandês”, Scorsese acompanha um mafioso (Robert De Niro) que viu todos que ama morrerem ou se afastarem de si, e vive uma terceira idade extremamente solitária. Será interessante, portanto, ver como o cineasta explorará o tema, agora que a pandemia trouxe uma nova perspectiva para a questão.

Compartilhe: