A gênese de “BioShock”

por Carlos Merigo

BioShock Documents

Sou fascinado por saber como os grandes produtos e franquias que impactam nossa vida começam. Ou seja, quando não existe mais nada além de uma ideia, como se apresenta e vende antes de entrar em produção e chegar ao nosso domínio.

“BioShock” é um exemplo recente que influenciou toda a indústria de games e, ainda espera-se, que seja transformado em um filme. E é pela sua importância e originalidade que não dá pra perder o material divulgado ontem pela Irrational Games ontem.

O estúdio revelou parte do documento-gênese do game, que une a proposta de design e marketing que foi apresentada para potenciais investidores e distribuidores em 2002, mais de 5 anos antes do lançamento.

Nas páginas, os desenvolveres explicam o que pretendiam com “BioShock”, incluindo artes conceituais e propostas de jogabilidade. Existia ainda claramente a intenção de se criar uma franquia, em que os direitos seriam comprados por Hollywood. Desejo realizado.

Obviamente, há muitas diferenças em relação ao produto final, mas é uma informação essencial para entendermos como é a apresentação “para o cliente” de um jogo.

Compartilhe: