Grandes empresas dos EUA estão preocupadas com banimento do WeChat

Grandes empresas dos EUA estão preocupadas com banimento do WeChat

Apple, Disney, Ford e Walmart teriam participado de uma videochamada exclusiva com funcionários da Casa Branca para mostrar as consequências da proibição em seus negócios

por Soraia Alves

Várias empresas dos Estados Unidos estão demonstrando preocupação com os efeitos da ordem de banimento do WeChat anunciada por Donald Trump. De acordo com um relatório do The Wall Street Journal, “mais de uma dúzia de empresas’, incluindo Apple, Disney, Ford e Walmart, teriam participado de uma videochamada exclusiva com funcionários da Casa Branca na última terça-feira, 11/08, na qual as empresas detalharam as consequências adversas que a proibição do WeChat poderia ter para os seus negócios.

A ordem executiva foi assinada por Trump na noite semana passada e bloqueia explicitamente “qualquer transação relacionada ao WeChat”. A medida está programada para entrar em vigor já nas próximas semanas, mas devido à sua linguagem ampla, ainda há dúvidas sobre o alcance da proibição, que está sujeita ao Departamento de Comércio.

Operado pela Tencent, o WeChat é o app de mensagens majoritariamente utilizado na China. Além da conversação, o aplicativo oferece serviços como pagamentos, comércio eletrônico, marketing, entre outros. Assim, a nova proibição obviamente prejudicaria empresas como a Apple, que passaria a não oferecer produtos viáveis ​​no maior mercado móvel do mundo, por exemplo.

Ainda de acordo com o WSJ, muitas empresas estariam na mesma situação de não conseguir comercializar produtos ou lidar com transações sem o WeChat, prejudicando significativamente suas operações na China.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link