corta

Movimento contra o assédio no audiovisual, Corta! lança campanha de conscientização

Vídeos divulgados nas redes sociais recontam histórias reais de abuso para reforçar necessidade de combate ao assédio no meio

por Pedro Strazza

Também conhecido como Pacto de Responsabilidade Antiassédio no Audiovisual, o Corta! iniciou nesta quarta (23) nas redes sociais uma campanha de conscientização contra o assédio sexual. E como é de se esperar a abordagem é forte, na esperança de justamente despertar uma mudança de comportamento geral na indústria do audiovisual.

Criado pela Leo Burnett Tailor Made, a campanha no caso envolve três vídeos diferentes que tem o mesmo ponto de retratar situações reais de abuso no meio a partir de suas sensações despertadas. Com durações entre um minuto e meio e até dois minutos e meio, as peças “O Hotel”, “O Apartamento” e “O Camarim” terminam com uma mesma mensagem: “Isto não é um roteiro. Isto é uma história real. Isto precisa ter fim.”.

Confira abaixo as peças na íntegra:

A ideia da campanha foi aproveitar o nome do grupo para um fim prático de alerta, de acordo com o vice-presidente de criação da agência Pedro Prado. “Assim como o nome do movimento, CORTA, que faz uma referência ao termo utilizado nos sets de filmagem para terminar uma cena, optamos por retratar situações fortes e verdadeiras que levem a reflexão e engajem na luta de dar um FIM, um basta no comportamento abusivo” escreve o executivo na divulgação da ação.

Criado pela Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (APRO) em 2017, o Corta! também anunciou hoje uma nova parceria com o movimento #MeTooBrasil para aumentar os esforços de combate ao assédio. “O #MeTooBrasil chega para acolhimento de denúncias e por sua vez o atendimento as vítimas. Apesar de terem atuações distintas, a parceria das duas iniciativas são complementares e fortalece o combate contra o assédio.” declara a presidente da APRO, Marianna Souza; “A nova campanha provoca as pessoas a refletirem e se engajarem nesse movimento”.

Junto dos vídeos, a APRO também promoveu nesta quarta um “Dia D” nas redes, mobilizando produtoras e entidades do setor para uma manifestação coletiva para conscientização do tema.

Compartilhe: