"Oi sumido": Depois de 3 meses, fundador do Alibaba reaparece na mídia

“Oi sumido”: Depois de 3 meses, fundador do Alibaba reaparece na mídia

Bilionário que não era visto desde outubro reapareceu com um discurso que ressalta pontos sempre defendidos pelo Partido Comunista

por Soraia Alves

Após diversas especulações ao longo dos três meses em que ficou desaparecido, Jack Ma ressurgiu em um evento online que ele organiza anualmente para professores rurais. Na videochamada, o fundador do Alibaba aparece visitando uma escola primária de sua cidade natal, Hangzhou, e conversa brevemente sobre filantropia com os 100 professores participantes do evento.

O bilionário não era visto desde outubro, quando apareceu em uma conferência na qual criticou o sistema regulatório financeiro da China. Na ocasião, Jack Ma falou sobre os reguladores chineses e credores estatais, o que não agradou o Partido Comunista Chinês.

A postura do empresário fez com que o governo abrisse uma investigação sobre os negócios de Ma. Os reguladores rejeitaram o IPO de US$ 35 bilhões de sua fintech, a Ant Group, o que obrigou a empresa a realizar uma reestruturação corporativa e conformidade regulatória sob as orientações do governo. Além disso, foi aberta uma investigação sobre o Alibaba, que é a maior plataforma de comércio eletrônico da China, em relação a supostas práticas monopolistas.

Nas últimas semanas, a mídia aumentou a especulação sobre o paradeiro de Jack Ma, o que pode explicar sua aparição agora. O empresário, no entanto, apresentou uma postura bem diferente, com um discurso que ressalta pontos sempre defendidos pelo Partido Comunista, como a importância de criar oportunidades para que jovens talentos retornem às áreas rurais do país: “Trabalhar muito pela revitalização rural e prosperidade comum é responsabilidade de nossa geração de empresários”, disse.

O vídeo com a presença de Jack Ma foi postado pela primeira vez em um portal de notícias apoiado pelo governo de Zhejiang, e o material foi verificado por um porta-voz do Alibaba.

Após o ressurgimento do empresário, as ações da Alibaba subiram 8% em Hong Kong.

Compartilhe:
icone de linkCopiar link