CORONAVIRUS

Amazon oferece ajuda a Joe Biden para distribuir vacina do coronavírus nos EUA

Empresa diz ter escala suficiente para gerar um "impacto imediato significativo" na disponibilidade das doses ao redor do país

por Pedro Strazza

Na esteira da inauguração da nova administração federal dos EUA, a Amazon no fim da tarde da última quarta (21) ofereceu ajudar o novo presidente Joe Biden no plano de vacinar pelo menos 100 milhões de norte-americanos nos próximos 100 dias. A colaboração foi posta a partir de uma carta enviada pelo CEO de operações Dave Clark ao chefe do executivo.

“Nossa escala nos permite promover impacto significativo imediato na luta contra a Covid-19, e nós estamos prontos para assisti-lo neste esforço” diz a empresa no documento, que busca disponibilizar ao governo diversos estabelecimentos da Amazon para a campanha de vacinação, incluindo armazéns, lojas e até unidades de Whole Foods. A companhia ainda diz ter “um acordo estabelecido” com uma rede de saúde (embora não diga qual) e que pode “se mover rápido uma vez que as vacinas estejam disponíveis”.

Você pode ler a carta na íntegra abaixo.

Além da questão de resolver um dos principais problemas da vacinação nos EUA atualmente – uma gerada pela ausência do governo anterior em gerenciar a distribuição das doses no país – a carta da Amazon também surge como uma oferta de paz da companhia após quatro anos de distância da administração federal. Ao contrário de Biden, o ex-presidente Donald Trump mantém desde sempre uma rixa com o CEO da empresa Jeff Bezos, o que inviabilizou qualquer relação durante seu período na Casa Branca.

Compartilhe: